Get Adobe Flash player

Culto de Senhoras

Culto de Senhoras

Estudos para senhoras – agosto/2014

REUNIÃO DE SENHORAS – 13-08-2014

Assunto: “A Palavra de Deus como instrução para a vida eterna”

Tema: A inclusão dos filhos na história de Israel

Texto Base: Gênesis 18.19

“Porque eu tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para agirem com justiça e juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado.’’

INTRODUÇÃO

Ao lermos a palavra de Deus vamos perceber que os filhos estão presentes em vários episódios da vida de Israel. Há sempre um apelo para que os pais amem os filhos, pois Deus sabe que há, desde bebê, um projeto para a obra do Senhor.

No chamado de Abraão, Deus revela o grande projeto profético para que ele fosse um líder e queria transmitir essa herança: “Porque eu tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para agirem com justiça e juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que a cerca dele tem falado.” (Profético) – Gênesis 18.19

Para que se cumpra em Abraão e nos filhos, o projeto de Deus através da herança, no ensino do caminho do Senhor Jesus (profeticamente), o Senhor Deus orienta em Deuteronômio 6.1 e 2 – “…e guardes todos os seus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida, e que teus dias sejam prolongados.”

Estava sendo a criança separada para ser levita (encarregados do louvor e do serviço no tabernáculo) – Números 3.15 – “Conta os filhos de Levi, segundo a casa de seus pais, pelas suas gerações; contarás a todo varão da idade de um mês para cima.”

DEVENVOLVIMENTO

Muitas vezes pensamos que é somente da igreja a função de educar, ensinar a Palavra, mas à família, aos pais, cabe a maior responsabilidade. Sentimos que sozinhas não podemos desempenhar essa grande tarefa, mas o Espírito Santo nos ajudará se assim o pedirmos. A primeira atitude dos pais em relação aos filhos é desde o ventre, antes de nascer sejam eles separados para o Senhor Deus.

O Espírito Santo nos ajudará, e ajudará a Igreja nessa tarefa.

Moisés é chamado por Deus para tirar o seu povo que estava cativo no Egito. Cativeiro que durou 400 anos. Êxodo 3.10 – “Vem agora, pois eu ti enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.”

Moisés sabia de sua responsabilidade de transmitir a herança às crianças, aos filhos, pois o Senhor falara: “E para que contes aos ouvidos de teus filhos, e dos filhos de teus filhos as coisas que fiz no Egito e os meus sinais que tenho feito entre eles; para que saibais que eu sou o Senhor.” – Êxodo 10.2

Deus sabia que se aquela geração não fosse fiel para com a transmissão da herança, os que viessem após eles, se desviariam do caminho do Senhor – E, em nossos dias, cabe a nós essa missão, tirar, livrar nossos filhos do mundo.

Deus envia 10 pragas sobre o Egito, como julgamento, mostrando também o seu poder.

Após o anúncio da praga dos gafanhotos, a oitava praga, Faraó em desespero diz: “…ide, servi ao Senhor, vosso Deus.” – Êxodo 10.8

E Faraó pergunta: “… Quais são os que hão de ir?” – Moisés sabendo que os filhos são a herança e preservação da obra do Senhor, responde: “… Havemos de ir com nossos meninos e com os nossos velhos; com osnossos filhos e com as nossas filhas e com as nossas ovelhas e com os nossos bois havemos de ir; porque festa do Senhor temos.” Êxodo 10.9– E, para nós, festa é termos a nossa família preservada para adoração, com temor, dizendo não ao pecado.

Na outra investida, após a praga das trevas, a nona praga, Faraó diz: “… ide, servi ao Senhor; somente fiquem vossas ovelhas e vossas vacas…” – Êxodo 10.24

Mas Moisés responde: “… o nosso gado há de ir conosco, nem uma unha ficará…” –Êxodo 10.26. Agora o intento de Faraó era para enfraquecer todo o povo e fazer cessar o holocausto, pois não teriam mais o sangue do cordeiro proveniente do sacrifício – é mais fácil, não há compromisso de confissão de pecado. Não havendo clamor pelo Sangue de Jesus, o nosso Cordeiro Pascal, Jesus profetizado desde o Gênesis.

CONCLUSÃO

O Senhor Jesus veio como Cordeiro de Deus Eterno, fazendo conosco uma Nova Aliança com seu Sangue, nos assegurando vida eterna com ele.

O nosso objetivo é chegar à Canaã Celestial com nossos filhos, nossas filhas e os filhos de nossos filhos. Não devemos ter medo de corrigi-los com amor. Andemos em Espírito, pois uma só palavra em comunhão pode impedir que nossos filhos se desviem do caminho.

Podemos dizer como Moisés falou: “… nem uma unha ficará.”

Hoje sabemos que não estamos sós, Jesus disse em João 14.21 – “… e aquele que me ama, será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele.” – O nosso socorro.

O testemunho de vida com Deus é herança para os nossos filhos.

“O homem de bem deixa uma herança aos filhos de seus filhos…”. Provérbios 13.22

REUNIÃO DE SENHORAS – 20-08-14

ASSUNTO: A Palavra de Deus como instrução para a vida eterna”

TEMA: ANA, EXEMPLO DE INCLUSÃO DOS FILHOS NA HISTÓRIA DE ISRAEL.

TEXTO BASE: I SAMUEL 1.22

“Porém Ana não subiu, mas disse a seu marido: Quando o menino for desmamado, então, o levarei, para que apareça perante o Senhor e lá fique para sempre.”

INTRODUÇÃO

Ana é um exemplo de mãe fiel na transmissão da herança do Senhor aos filhos.

A palavra Ana significa graça. Era a esposa amada por Elcana.

Sua vida foi marcada pelo louvor, pela fé e pela oração. Ana tinha uma grande tristeza em sua alma por ser estéril e por ser humilhada por Penina. Mesmo com a sua alma amargurada ela discerniu o momento em que vivia, a casa de Eli, o Sacerdote, estava em decadência, Israel estava vivendo um período de materialismo e desumanidade.

Ana ora, roga a Deus por um filho e oferece-o ao serviço da casa de Deus.

DESENVOLVIMENTO

Como era costume do povo de Deus, Elcana ia com toda a família para os sacrifícios a Siló, e nessas idas anuais, Penina, como sempre, humilhava Ana por ela ser estéril: “E a sua competidora excessivamente a irritava para a embravecer, porquanto o Senhor lhe tinha cerrado a madre.” – I Samuel 1.6

Ana sofria em silencio, “com amargura de alma”, mas calada.

Numa dessas idas anuais a Siló, Ana entra no templo do Senhor e com amargura orou ao Senhor, e chorou abundantemente pedindo um filho e, ali, ela promete que o daria ao Senhor. Deus visitou o seu coração e viu nela sinceridade e amor pela sua obra. O Senhor podia, naquele coração, cumprir o projeto de Deus, que era ter um substituto para Eli, o Sacerdote.

Eli a observava e disse-lhe: “… vai em paz, e o Deus de Israel te conceda a tua petição que lhe pediste.” – I Samuel 1.17

Assim Ana se levanta de madrugada e de posse da benção se alegra e o seu semblante não era mais triste, a profecia se cumpriu e nasceu Samuel.

Elcana subiu para o sacrifício anual, com toda a sua casa e a cumprir o seu voto.

I Samuel 1.21

Ana, porém diz que só levaria o menino quando fosse desmamado.

Sabedoria da serva. Era necessário aquele tempo com o menino, aqueles momentos de aconchego, de carinho, de intimidade, mãe e filho. Neste período de amamentação ela poderia estara só com o menino, cantar louvores, orar por ele, falar do Senhor ao seu ouvido, entregá-lo todos os dias ao Senhor Deus. Passar a ele saúde física através do leite materno, (Alimento mais completo para esta idade), dar a ele imunidade, saúde e principalmente incutir nele a intimidade com Deus.

Ana cumpre o seu voto e no tempo certo o leva ao tabernáculo em Siló para entregá-lo ao Sacerdote Eli – I Samuel 1.24

Samuel crescia diante do Senhor e ministrava perante Ele, sendo ainda menino. Sua mãe todos os anos, levava para ele uma túnica, feita por ela, tecida fio a fio, oração após oração, Ana acompanhava o crescimento de Samuel, e ano após ano levava uma túnica nova para ele.

Samuel via o mau testemunho dos filhos do Sacerdote Eli, mas não se deixou abater e nem seguiu o testemunho maligno deles, mas prosseguiu na obediência, comprometido com Deus, com seu projeto, com seu povo.

Mais tarde, após a morte de Eli, ele vem a ser profetajuiz (Samuel foi o último juiz de Israel), e sacerdote, e é citado em Hebreus 11.32 como um dos heróis da fé.

CONCLUSÃO

Ana, uma serva que soube calar diante das afrontas da outra mulher e no silêncio pode ouvir a voz de Deus e receber o livramento. Um exemplo de mãe que esperou somente em Deus.

O cântico de Ana, cântico de vitória (I Samuel 2.1-10), revela o verdadeiro testemunho dessa mulher nobre.

Ana é exemplo de fé, perseverança, pois é necessário buscar o Senhor a cada dia pelos nossos filhos. Não podemos descansar e deixar de lhes dar o alimento para a alma, seja ele pequeno, grande ou casado. Não podemos parar de tecer a túnica e haverá um louvor, uma glorificação por vermos a Palavra de Deus se cumprindo na vida de cada um deles.

REUNIÃO DE SENHORAS – 27-08-14

ASSUNTO: A PALAVRA DE DEUS COMO INSTRUÇÃO PARA A VIDA ETERNA

TEMA: JOQUEBEDE, EXEMPLO DE INCLUSÃO DOS FILHOS NA HISTÓRIA DE ISRAEL

TEXTO BASE: “E o nome da mulher de Anrão foi Joquebede, filha de Levi, a qual nasceu a Levi no Egito; e esta, a Anrão gerou Arão, e Moisés, e Miriã, sua irmã.” Números 26.59

INTRODUÇÃO

No Velho Testamento e no Novo Testamento lemos sobre mulheres que instruíram seus filhos a temerem ao Senhor Deus.

A Bíblia nos fala de Joquebede uma escrava hebréia, filha de Levi, que casou-se com um levita, (Anrão).

Ela deu a luz a um menino (Moisés) que fora preservado da morte. Joquebede o escondeu por três meses por causa da ordem dada por Faraó, de matar todos os meninos que nascessem das hebréias. Deus separou Moisés para um projeto com seu povo.

DESENVOLVIMENTO

No Egito o povo de Israel habitava na terra de Gósen. Após a morte de José, que fora governador do Egito, levantou-se no Egito um novo rei que não conhecera a José: Êxodo 1.8 – Este rei observou que o povo dos filhos de Israel era muito e mais poderoso do que o povo egípcio, Êxodo 1.9 – Faraó temeroso de que havendo guerra os hebreus se juntassem aos inimigos dos egípcios, planejou uma estratégia contra o povo Hebreu: As parteiras das hebréias deveriam matar os meninos que nascessem das mulheres hebréias e as meninas fossem preservadas. – Êxodo 1.15 e 16

Como as parteiras temeram a Deus e não atenderam à ordem de Faraó, deixaram viver os meninos. Êxodo 1.17

Faraó deu então outra ordem: “… a todos os filhos que nascerem, lançareis no rio, mas a todas as filhas guardareis com vida.” – Êxodo 1.22

Joquebede escondeu seu filho por três meses.

O Senhor Deus tinha um projeto para aquele menino.

Joquebede não podendo mais escondê-lo, fez uma arca de junco e a betumou com betume e pez (pez – uma espécie de resina) e, colocando nela o menino, a pôs nos juncos à borda do rio. Êxodo 2.3

A irmã do menino ficou de longe para observar o que haveria de suceder a ele.

Êxodo 2.4

Quando a filha de Faraó abriu a arca e viu o menino, a irmã dele se dirigiu à filha de Faraó e disse-lhe: “… Irei eu a chamar uma ama das hebréias, que crie este menino para ti?” Êxodo 2.7

“… E foi-se a moça e chamou a mãe do menino.” – Êxodo 2.8

Deus tinha um projeto para aquele menino, um grande projeto! “… operando eu, quem impedirá?” – Isaías 43.13b

Foi, assim, o menino criado pela sua mãe que era fiel serva do Senhor. Sendo o menino já grande, ela o trouxe à filha de Faraó, a qual o adotou e chamou o seu nome Moisés e disse: “… Porque das águas o tenho tirado.” – Êxodo 2.10

Assim, Moisés sendo Instruído, educado no temor do Senhor, viveu com seus pais por alguns anos. Pôde ser amamentado por Joquebede. Neste período Joquebede transmitiu para ele a herança, o conhecimento de Deus e de que ele era hebreu. Esta herança foi transmitida dia a dia na convivência com a família.

No Egito, no palácio de Faraó, Moisés foi educado em toda a ciência dos egípcios e era poderoso em suas palavras e obras. – Atos 7.22

Passaram-se muitos anos, mas o ensino ficou guardado no seu coração.“Pela fé, Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó.” – Hebreus 11.24

Moisés, “… pela fé, deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.” – Hebreus 11.27

Aos 40 anos de idade veio ao seu coração ir visitar seus irmãos, os filhos de Israel. E vendo um deles sendo maltratado o livrou da mão do egípcio, após este fato, Moisés partiu para a terra de Midiã. – Atos 7.23-29

E Moisés morou em Midiã 40 anos. Estando ele pastoreando o rebanho de seu sogro, veio ao monte de Deus, a Horebe, onde ele teve um encontro com Deus, grande experiência. Apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo, no meio de uma sarça e, maravilhou-se vendo a sarça ardendo em fogo, mas sem se consumir. Ali, ele ouviu a voz do Senhor, que confirmava a sua presença, no meio da sarça, chamando-lhe por nome.

Êxodo 3.1-6

CONCLUSÃO

Assim como Joquebede, o Senhor nos tem feito “responsáveis” pelos filhos que ele nos deu. “Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre, o seu galardão.” Salmos 127.3

O exemplo destas duas servas que estamos vendo nestas duas semanas nos traz grandes ensinos. Ana e Joquebede puderam por um período, amamentar e ver o crescimento dos filhos, estarem passando para eles as instruções do Senhor, passando para eles as suas identidades, filhos do Deus Altíssimo, pertenciam a Ele, era povo de Deus, foram comprados, resgatados por Deus, faziam parte da Aliança que Deus fizera com os seus pais.

A nossa posição deve ser a mesma destas servas, Joquebede e Ana, não desistiram dos seus filhos, foram perseverantes.

O Senhor Deus nos fala em muitos textos sobre a perseverança: “Perseverai em oração, velando nela com ação de graças.” – Colossenses 4.2

Joquebede perseverou, lutou pela vida de Moisés, e o escondeu durante três meses e Deus o preparou. Sua vida estava inserida no projeto de Deus.

“Formoso aos olhos de Deus” – Sua mãe temia a Deus, e lutou para preservá-lo.

“… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” – Tiago 5.16b

Estudo para senhoras

REUNIÃO DE SENHORAS 23.07.14

ASSUNTO: O LOUVOR AO REI DOS REIS, SENHOR DOS SENHORES QUE REINA ETERNAMENTE

TEMA: JESUS GLORIFICADO

TEXTO: “E o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém!…” Apocalipse 1.18

INTRODUÇÃO

A palavra Apocalipse vem do grego e significa: revelação, descobrimento.

O livro do Apocalipse abre-se com a narrativa da maravilhosa visão que o apóstolo João teve do Senhor Jesus glorificado, quando estava exilado na ilha de Patmos“…por causa da Palavra de Deus e pelo testemunho de Jesus Cristo”. – Apocalipse 1.9 a19

Em Apocalipse 1.3 há uma promessa de bem-aventurança para todo o que lê e os que ouvem as palavras desta profecia e os que guardam as coisas que nela estão escritas…

Então, nós estamos reunidas debaixo dessa promessa de bem-aventurança, pois assim estaremos atentas aos sinais da volta do Senhor Jesus. Essa bem-aventurança é a primeira das sete que se acham neste livro do Apocalipse.

DESENVOLVIMENTO

João narra a visão do arrebatamento em espírito, no dia do Senhor. Contempla uma figura maravilhosa, “…um semelhante ao Filho Homem….’’ Apocalipse 1.13. João conheceu o Senhor Jesus muito bem, andava com ele pelas estradas poeirentas, vestido com roupas simples, sem parecer nem formosura, “… e como raiz de uma terra seca; não tinha parecer nem formosura… – homem experimentado nos trabalhos….’’ – Isaias 53.2,3. João vê Jesus, semelhante ao “filho do homem’’, para que ele pudesse identificá-lo, mas agora ele vê Jesus glorificado.

João ao vê-lo caiu ao seus pés como morto, Apocalipse 1.17, tal o impacto de sua gloriosa presença. Por mais que queiramos imaginar o que João viu, não poderemos, pois ele teve a visão “em espírito”. Mas quando lá chegarmos, O veremos face a face.

Visão: “Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como  de trombeta.” – Apocalipse 1.10

A trombeta, instrumento de sopro, Shofar em hebraico, feito com chifre de carneiro, era usada em grandes ocasiões, convocações para anunciar coisas importantes e nesta visão anunciava “aos servos as coisas que brevemente hão de acontecer’’. Jesus está vivo! “…Porque eu vivo e vós vivereis.” – João 14.19b

João virou-se para ver quem falava com ele e vê sete castiçais de ouro e no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem. – Apocalipse 1.12,13.

·     Vestido com uma veste comprida até os pés – vestes sacerdotais – o sumo sacerdote perfeito – vestes santas, vitorioso sobre a morte: “…Está consumado.” – João 19.30b

·     Cingido pelo peito com um cinto de ouro – seu poder e autoridade junto ao Pai; cingido pela verdade. – Efésios 6.14

·     Cabelos brancos como a branca lã – Jesus a cabeça do corpo –Colossenses 1.18 – sabedoria, pensamentos santos, puros, de uma vida sofrida, de experiências vividas, a direção perfeita que nos leva à Sua presença.

·     Seus olhos como chama de fogo – o que vê na profundidade, é o olhar que aquece a alma.

·     Seus pés – semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha – o seu andar neste mundo foi de sofrimento, humilhações, desafios, dores, calúnias, provado no fogo e, agora, reluzentes por causa da gloriosa vitória sobre o mundo, sobre a morte, vitória do seu caminhar por nós.

·     Sua voz como a voz de muitas águas – nesse momento, não mais como voz de trombeta, mas “como de muitas águas”. Voz poderosa para que ninguém deixe de ouvi-la, para que se arrependam e sejam livres da grande tribulação, da morte eterna. Ninguém sem Ele será tido como inocente. O seu evangelho está sendo pregado por todos os meios e por nós que aqui estamos, ligados ao corpo, à igreja de Cristo.

·     De sua boca saía uma aguda espada de dois fios – a palavra de poder que separa, divide o que é espiritual (eterno), do que é material e passageiro.

·     O seu rosto como o sol quando na sua força resplandece – a sua glória total que ainda não podemos contemplar, o Sol da justiça, mas o contemplaremos com o nosso corpo glorificado e o veremos como Rei dos reis, Senhor dos senhores.

CONCLUSÃO

A igreja remida pelo Senhor Jesus Cristo, sob esse acontecimento maravilhoso, o contemplará, glorificado, e como João, cairemos a seus pés como mortos mas Ele nos diz: “…não temas; eu sou o Primeiro e Último….’’. Apocalipse 1.17b

Ansiando por esse grande dia do Senhor quando ele virá para arrebatar a sua igreja que o está buscando cada dia com fidelidade e proclamando: MARANATA!

 “Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória e ações de graças.” – Apocalipse 5.12

Estudo para senhoras

REUNIÃO DE SENHORAS – 16/07/2014

ASSUNTO“O LOUVOR AO REI DOS REIS, SENHOR DOS SENHORES QUE REINA ETERNAMENTE.”

TEMAO LEÃO DA TRIBO DE JUDÁ.

TEXTO“E disse-me um dos anciãos: não chores; eis aqui o Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro e desatar os seus sete selos.” – Apocalipse 5.5

INTRODUÇÃO:

Judá significa: “Ele (o Senhor) será louvado”.

Judá  é o 4º filho de Jacó com Lia e por ocasião do seu nascimento Lia louvou ao Senhor: “…Esta vez louvarei ao Senhor. Por isso, se chamou o seu nome Judá…” – Gênesis 29.35

Na benção de Jacó para Judá ele fala “Judá é um leãozinho…” – Gênesis 49.9.  Mas o mais importante da descendência de Judá ainda viria da raiz de Davi – Jesus Cristo – o “Leão da tribo de Judá”.

Os propósitos de redenção e governo de Deus somente podem ser realizados por meio daquele que é inigualavelmente digno: Jesus Cristo. Ele é o poderoso, vitorioso Leão da tribo de Judá – Apocalipse 19.1121 e 17.14, e ao mesmo tempo o manso cordeiro de Deus que foi imolado, resgatando assim o seu povo com o preço do sangue do seu sacrifício redentor. – Apocalipse 5.9-10

Ao Leão da tribo de Judá todo nosso louvor e adoração.

DESENVOLVIMENTO

Em relação ao Tabernáculo, a tribo de Judá se posicionava de frente para a sua entrada, ao lado oriental, ou leste, a posição voltada para a nascente do sol. Essa posição da tribo de Judá diante do Tabernáculo, aponta para o Senhor Jesus, o Leão da tribo de Judá, o Sol da Justiça e a resplandecente Estrela da Manhã; Lembra-nos também o Senhor Jesus como o nosso sumo sacerdote eterno, Jesus Cristo, aquele que entrou de uma só vez no tabernáculo eterno – feito não por mãos de homens, mas por Aquele que está no céu – lembra-nos o Senhor Jesus levando seu próprio sangue, para através de um único sacrifício na cruz do calvário nos garantir a salvação. A salvação não mais apenas para os judeus, mas também para nós e para todos aqueles que nEle crerem, e assim tenhamos direito à vida eterna e habitemos para sempre na cidade santa.

Profeticamente, Ezequiel na visão da restauração do templo vê a glória do Senhor Jesus como o Leão da tribo de Judá com todo seu poder: “Então, me levou à porta, a porta que olha para o caminho do oriente. E eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do oriente; e a sua voz era como a voz de muitas águas, e a terra resplandeceu por causa da sua glória.”  Ezequiel 43.1 e 2

Junto ao Tabernáculo a tribo de Judá ficava posicionada em frente à porta de entrada para o pátio, onde estava o altar do sacrifícioa pia de bronze.  Assim o louvor está diante de uma única porta – Jesus – que nos conduz a presença de Deus. Jesus o Leão da tribo de Judá será sempre louvado em nossas vidas. – Números 2.3

Não foi, portanto, sem propósito que Deus escolheu essa tribo, que fala do louvor, para estar à frente da única porta – Jesus – que nos dá acesso ao Pai.

Quando o Tabernáculo se movimentava, a tribo de Judá ia à frente das outras tribos, após os levitasque carregavam a arca, posição esta revelada por Deus. O louvor presente à frente de um povo, logo após a arca, que fala da presença e direção do Senhor para a caminhada. – Números 10.14

CONCLUSÃO

Em nossa caminhada rumo a Canaã Celestial o louvor, pela nossa salvação, ao Senhor Jesus como o Leão da tribo de Judá deve ir à frente de nossas vidas, não importando as situações que iremos passar, pois é o louvor que profetiza a vitória, a qual já nos está assegurada pelo sacrifício do Cordeiro de Deus.

O louvor ao Senhor Jesus como o Leão da tribo de Judá presente em nossas vidas é garantia de vitória, de vida eterna, pois Ele foi o único achado digno de abrir o livro e desatar os seus sete selos, em toda a eternidade, e assim através dEle se cumpriu todo o projeto de salvação e domínio de Deus. A Ele o nosso constante, verdadeiro e puro louvor, louvor de gratidão que sai do nosso coração como as vozes dos anjos na eternidade.

Na eternidade João ouviu a voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dos anciãos, voz de milhões de milhões de milhares de milhares que proclamando em grande voz diziam: “…Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças. E ouvi a toda criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono e ao Cordeiro sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre. ‘’ – Apocalipse  5.12-13

Estudo para senhoras 09/07/2014

REUNIÃO DE SENHORAS – 09/07/14

ASSUNTO: O LOUVOR AO REI DOS REIS, SENHOR DOS SENHORES QUE REINA ETERNAMENTE.

TEMA: A RESPLANDECENTE ESTRELA DA MANHÃ.

 

TEXTO:  “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manha”. Apocalipse 22:16.

Introdução

Todo louvor, honra e glória, sejam dadas ao Rei dos Reis, ao Senhor dos Senhores, aquele que Reina e Reinará eternamente.

Está é a alegria da Igreja Fiel, ofertar ao Rei dos Reis toda a sua gratidão, a sua adoração o seu louvor àquele que a remiu, aquele que fez dela identidade sua, através do seu sangue, ao Deus Justo (O Sol da Justiça) que a julgará com justiça, ao Eu Sou, ao Alfa e o Ômega, A Rosa de Sarom, e O Lírio dos Vales, A Brilhante Estrela da Manhã, ao Leão da Tribo de Judá.

A Ele só a Ele a nossa gratidão e o nosso louvor.

Desenvolvimento

Na caminhada do Seu povo no deserto o Senhor Deus fala numa profecia a respeito do Senhor Jesus, daquele que viria para reinar e usa a expressão estrela.

“Vê-lo-ei, mas não agora, contemplá-lo-ei, mas não de perto, uma estrela procederá de Jacó, e um cetro subirá de Israel”. (Números 24:17).

A promessa de que a estrela (Jesus) procederia do trono de Jacó, também é feita a Davi.

“A tua casa e o teu reino serão firmado para sempre diante de ti, teu trono será firmado para sempre”. (II Samuel 7:12).

O povo na caminhada foi vencedor. Passou por grandes lutas, grandes obstáculos, mas tomaram posse da promessa feita a eles, chegaram a Canaã, a terra prometida por Deus.

Jesus nasce da descendência de Davi, como fora profetizado. Os anjos anunciam seu nascimento de forma gloriosa. Os magos viram a estrela que apareceu a eles como sinal e vão a Belém para adorá-lo. A estrela que viram no Oriente ia adiante deles até  chegarem ao lugar onde estava o menino (Jesus).

A igreja se desponta, cresce, cai na graça do povo, mas é provada, passa por lutas, perseguições.

Os apóstolos e discípulos são usados com poder, são honrados pelo Senhor, mas vão para as prisões, cova dos leões, fogueiras, mas o nome do nosso Deus era exaltado.

João pastoreava a igreja de Éfeso, foi levado preso e desterrado para a Ilha de  Patmos.

Em Patmos João foi arrebatado em espírito e em visão recebeu as revelações do Apocalipse. Vê Jesus glorificado, vê a respeito das sete igrejas da Ásia, vê a nova Jerusalém.

A igreja de Tiatira vivia em meio ao engano, mentira, feitiçaria, idolatria, prostituição, falsos profetas. A ela foi feito uma promessa “Ao que vencer, dar-lhe-ei a Estrela da Manhã”. (Apocalipse 2:28).

A Estrela da Manhã (Jesus) nos fala de um novo dia, um novo amanhecer, uma nova vida para a igreja (a eternidade). O encontro da igreja com o Senhor Jesus, A grande vitória, o Sentido da igreja.

O Senhor depois mostrou a João a Nova Jerusalém, faz algumas admoestações e promessas, Ele fala: “Eu Sou a Raiz e a Geração de Davi a resplandecente Estrela da Manhã”.

Conclusão

Vivemos o período profético, período da meia-noite, momentos de provas, aflições e lutas.

Estamos caminhando no deserto, porém se aproxima o término da caminhada. A promessa está próxima a se cumprir, o Senhor Jesus virá e veremos “A Resplandecente Estrela da Manhã”.

Tudo se fará novo, então louvaremos, cantaremos com os anjos na eternidade.

“Deus limpará dos nossos olhos toda a lágrima…” (Apocalipse 21:4).

“E verão o seu rosto, e na sua testa estará o Seu Nome”. (Apocalipse 22:4).

Estudo para senhoras 25/06/2014

REUNIÃO DE SENHORAS – 25-junho-2014

 

ASSUNTO: LOUVOR AO REI DOS REIS, SENHOR DOS SENHORES QUE REINA ETERNAMENTE

 

TEMA: JESUS A ROSA DE SAROM, O LÍRIO DOS VALES

 

TEXTO: Cantares 2.1

 

“Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales.”

 

INTRODUÇÃO

 

O livro de Cantares escrito por Salomão (tipo do Espírito Santo) é o cântico dos cânticos do Espírito Santo. Traz o mais perfeito louvor e adoração entre Jesus e sua igreja. Somente através do Espírito Santo a igreja rende ao Senhor Jesus uma perfeita adoração.

 

O Senhor Jesus quando falava ao povo em suas parábolas usava termos que faziam parte do cotidiano do homem tais como: terra, frutos, flores, céus, pão, água. Através deles ensinava os segredos celestiais.

 

Jesus se apresenta no inicio do capítulo dois de Cantares como a rosa de Sarom, e como o lírio dos vales.

 

DESENVOLVIMENTO

 

A rosa de Sarom é uma rosa simples, vermelha, inconfundível, mostrando Jesus, o Cristo vivo, revelado pelo Espírito Santo.

 

Quando o Senhor Jesus se compara com a rosa de Sarom dizendo: “Eu sou a rosa de Sarom…”, Ele estava se comparando a algo que todos conheciam naquela região, a rosa de Sarom própria do vale de Sarom, que era uma planície da Palestina.

 

Como a rosa de Sarom, o lírio dos vales também é simples, puro, inconfundível, que mesmo nascendo no vale o seu perfume exala. É Jesus dizendo para nós: quem não saberia diferenciar o lírio dos vales?

 

Aqui numa comparação tão maravilhosa está a figura do Senhor Jesus, como aquele que veio a este mundo, a este vale, enviado pelo Pai, para realizar um projeto de salvação para o homem. Que sofreu todas as amarguras desta vida, mas não pecou e esteve sempre em comunhão com o Pai. Por isso Ele se compara à rosa de Sarom e ao lírio dos vales que mesmo florescendo em charcos e vales, mantém a pureza de sua beleza e perfume que O diferencia, e nos revela o seu amor que transforma.

 

Jesus se compara à rosa de Sarom e ao lírio dos vales na sua simplicidade, na sua pureza, porque qualquer um poderia encontrá-lo, pois Ele é visível para todos. Basta aceitá-lo.

 

APLICAÇÃO

 

No Velho Testamento Jesus é comparado profeticamente à rosa de Sarome ao lírio dos vales, revelando que Ele é único, incomparável, que sua beleza é indescritível. Que no seu sacrifício, na sua morte gerou muitoslírios que somos nós, a sua igreja. Por isso temos a mesma identidade, por seu sangue, a mesma característica de Jesus.

A Sua beleza é vista na sua igreja, que foi transformada pelo seu amor, naquele que a gerou.

A rosa e o lírio são de fácil acesso, qualquer que desejar pode tê-los.

Assim é Jesus, conforme Cantares 2.16 – “O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu rebanho entre os lírios.”

 

Hoje a igreja vive alegre, pois conhece e ouve a voz do noivo e aguarda a sua volta.

 

É tempo de cantar, de dar aleluia e glórias a Jesus! A igreja glorifica profetizando e amando a volta de Jesus que vem buscá-la.

Porque Ele é tudo que foi antes e continuará sendo, por isso ele é o – “Eu Sou” – que vai de eternidade a eternidade.

 

Quando o Senhor nos fala dos lírios do campo, como eles crescem, não trabalham, e nem fiam, e que nem mesmo Salomão em toda a sua gloria se vestiu como qualquer um deles, o Senhor nos pergunta: “Por que andais preocupados, ansiosos?” – Jesus é o nosso recurso, é a nossa alegria, é o nosso viver, a nossa salvação, a razão do nosso louvor.

 

O que temos que fazer é só glorificar a Deus.

 

Por isso Ele nos manda olhar os para os lírios do campo.

 

Jesus é o lírio dos vales, Ele é a rosa de Sarom.

 

“… Olhai para os lírios do campo…’’ Mateus 6.28b

Estudo para senhoras 18/06/2014

REUNIÃO DE SENHORAS – 18-junho-2014

 

ASSUNTO: LOUVOR AO REI DOS REIS, SENHOR DOS SENHORES QUE REINA ETERNAMENTE.

 

TEMA: O SOL DA JUSTIÇA

 

TEXTO: MALAQUIAS 4.2

 

‘’Mas para vós que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça e salvação trará debaixo das suas asas; e saireis e crescereis como bezerros do cevadouro. ’’

 

INTRODUÇÃO

 

Na Bíblia, a Palavra de Deus, o Espírito Santo nos fala das características dadas ao Senhor Jesus. Na sua linguagem poética, Ele nos fala do Senhor Jesus como Sol da Justiça, Estrela da Manhã, Lírio dos Vales, Rei dos Reis, Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade ePríncipe da Paz.

 

DESENVOLVIMENTO

 

O profeta Habacuque descreve numa visão, Habacuque 1.1-5, momentos proféticos que vivenciamos hoje. Ele clama: “Até quando Senhor…?” – Ele vê uma lei que se afrouxa, uma justiça que não se manifesta. O ímpio cerca o justo, e a justiça se manifesta distorcida.

 

Mas afirma e maravilha-se da obra que seria realizada no meio dos judeus e dos gentios, obra tão grande, maravilhosa, que muitos não creriam –Habacuque 1.5

 

Vivemos dias maus, tempos trabalhosos como Paulo escreveu na carta a Timóteo – II Timóteo capítulo 3

 

A palavra de Deus nos afirma que o Senhor é “…tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar…” -Habacuque 1.13

 

Jesus, o Sol da Justiça, é a esperança da igreja. Ele trouxe para a sua igreja a salvação, a vida eterna, a cura física e espiritual.

 

Damos glória a Deus porque como o sol nasce todos os dias no seu esplendor e nunca falta e sempre está lá rompendo na alvorada de um novo dia, prevalecendo contra a escuridão, assim também o Senhor Jesus, o Sol da Justiça brilha eternamente.

 

APLICAÇÃO

 

O Senhor é quem dissipa as trevas e nos trouxe para sua maravilhosa luz, onde a sua justiça, graça e misericórdias tem nos alcançado.

 

O sol anuncia o raiar de um novo dia. Nós aguardamos este novo Dia, onde o Sol da Justiça brilhará no céu e nós estaremos para sempre com o Senhor.

 

O apóstolo João profetizou: “E ELE TINHA NA SUA DESTRA SETE ESTRELAS; E DA SUA BOCA SAÍA UMA AGUDA ESPADA DE DOIS FIOS; E O SEU ROSTO ERA COMO O SOL, QUANDO NA SUA FORÇA RESPLANDECE.” – Apocalípse 1.16

 

Lá no céu, na cidade santa, o Sol da Justiça brilhará com todo o seu resplendor. Lá não haverá noite, e não necessitarão de lâmpada porque o Senhor os iluminará, “…e o Cordeiro é a sua lâmpada.” – Apocalipse 21.23b, e nós reinaremos para sempre com o Senhor.

 

O nosso louvor é porque tudo vai passar e temos a certeza que estaremos na eternidade e contemplaremos o Sol da Justiça, Jesus o Cordeiro de Deus o nosso Salvador.

 

“… e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece.” – Apocalípse 1.16b

Estudo para senhoras 11/06/2014

REUNIÃO DE SENHORAS – 11-junho-2014

 

ASSUNTO: ‘’LOUVOR AO REI DOS REIS, SENHOR DOS SENHORES QUE REINA ETERNAMENTE’’.

 

TEMA: AQUELE QUE É MARAVILHOSO, CONSELHEIRO, DEUS FORTE, PAI DA ETERNIDADE E PRÍNCIPE DA PAZ.

 

TEXTO: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”  Isaías 9.6

 

INTRODUÇÃO

 

Toda a Palavra nos conduz a louvarmos ao Senhor, do Gênesis ao Apocalipse. O Senhor nos criou para o louvor da sua glória, os servos do passado como Abel, Abraão, Noé e tantos outros ofereceram holocaustos em louvor ao seu grande nome. Moisés, Miriã, Débora, Ana, Davi cantaram louvores ao Senhor.

Os anjos louvam a Deus. “Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor!”, nos diz o Salmo 150.6. No Tabernáculo e depois da construção do Templo o povo era levado a louvar ao Senhor.

 

Quando o rei Ezequias restabelece o culto ao Senhor, a palavra nos diz:‘‘… e, ao tempo em que começou o holocausto, começou também o canto do Senhor, com as trombetas e com os instrumentos de Davi, rei de Israel. E toda a congregação se prostrou quando cantavam o canto, e as trombetas tocavam; tudo isso, até o holocausto se acabar.” – II Crônicas 29.27,28

 

O sacrifício de louvor pelo perdão, pela vida espiritual restaurada. Em todo tempo é bom louvar ao Senhor que tem prazer em nos abençoar.

 

DESENVOLVIMENTO

 

Isaías ao profetizar qual seria o nome do nosso salvador, nos diz assim: “… e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”; estava exaltando o Senhor Jesus, pois no seu próprio nome estava a revelação da sua obra de redenção.

 

Maravilhoso porque sendo Deus deixou a sua glória e morreu por nós operando sinais e maravilhas.

 

Conselheiro porque o seu conselho, sua palavra é perfeita e restaura a alma, palavra de vida eterna.

 

Deus Forte o que tem todo o poder, onde encontramos segurança.

 

Pai da Eternidade é mesmo ontem, hoje e o será eternamente, Aquele que é pai e que cuida do seu povo com grande amor.

 

Príncipe da Paz é o que perdoou o nosso pecado através do seu sangue nos trazendo a paz.

 

No seu nascimento milhares de anjos louvaram a Deus nas alturas. O louvor pela salvação vinda das mãos deste Deus de amor.

 

No Novo Testamento o sacerdote Zacarias, Isabel, Simeão, a profetisa Ana, Maria, Paulo e até as crianças louvaram ao Senhor.

 

O louvor dos nossos lábios é o fruto de confessarmos o seu nome, fruto de uma alma remida.  “Portanto, ofereçamos sempre, por ele, a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.” – Hebreus 13.15

 

O coração transborda da alegria do Espírito Santo por esta Salvação, então com os nossos lábios louvamos ao Senhor. E como está escrito: “…porque a alegria do Senhor é a vossa força.’’ – Neemias 8.10b

 

APLICAÇÃO

 

O louvor é a exaltação do nome de Deus, porque é um ato de fé pela sua operação em nossas vidas.

 

Ao louvarmos ao Senhor expressamos com os nossos lábios a alegria que sentimos em nossos corações pela salvação. Muitas vezes passamos por duras provas, mas a nossa alma pode dizer: “Como contristados, mas sempre alegres…” II Coríntios 6.10a

 

O Senhor Jesus é Maravilhoso, pois operou a maior das maravilhas que é a de nos conceder a vida eterna. No seu conselho podemos dar passos seguros na caminhada. E na sua fortaleza estamos guardados. ELE é o que conhece o ontem, o hoje e o amanhã e com o seu amor tem cuidado de nós.  E no seu perdão encontramos a sua paz.

 

Enquanto estamos neste mundo somos carentes do perdão do Senhor e só no sangue do sacrifício de Jesus há perdão, e por este perdão há o louvor da alma remida.

 

Então louvamos ao Senhor pela alegria da salvação e esta alegria tem sido a nossa força. Quanto mais louvamos, mais somos fortalecidos e nessa força vamos caminhando até chegarmos ao céu, onde louvaremos ao Senhor eternamente.

 

“Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo.” I Pedro 1.7

Circular – nova orientação para o trabalho de senhoras

IGREJA CRISTÃ MARANATA – PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE

Vila Velha/ES, 10 de maio de 2014
CIRCULAR N.º 030/14

 

REUNIÃO DE SENHORAS
Informamos aos pastores e Igrejas que, em uma reunião quinzenal de busca ao Senhor do Grupo de Senhoras responsável junto ao Presbitério pelo Trabalho de Senhoras, o Senhor deu a seguinte revelação:

“O período de intercessões que era feito após o encerramento da Palavra nas reuniões semanais de senhoras não será mais feito, pois este período teve o seu tempo encerrado. De agora em diante, após a entrega da Palavra, o término das reuniões será feito com o cântico de um louvor e uma oração de glorificação ao nome do Senhor”.

Tal revelação foi confirmada em Reunião do Presbitério, quando o Senhor deu a seguinte visão: “Vi durante a glorificação de encerramento da reunião que um anjo era enviado aos lares das irmãs para ministrar as bênçãos de livramentos e vitórias”. – Textos de confirmação: II Samuel 17:22 e II João 1:3.

A orientação anterior, agora substituída, é aquela que consta da Coletânea do Trabalho de Senhoras, Edição 2013, página 34.

Essa orientação passa a vigorar a partir da Reunião de Senhoras do dia 14 de maio de 2014.
A Paz do Senhor
O Conselho Presbiteral

Reunião de senhoras 28/05/2014

REUNIÃO DE SENHORAS 28.05.2014

ASSUNTO: O PODER DA PALAVRA DO SENHOR JESUS

TEMA: “NINGUÉM FALOU COMO ESTE HOMEM.’’

 

“Maravilharam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade e não como os escribas.” Marcos 1.22

 

“… Nunca homem algum falou assim como este homem.” João 7.46

 

INTRODUÇÃO

Quando lemos a bíblia nos primeiros capítulos do livro de Gênesis, que nos fala do poder criador de Deus através da sua palavra. Criando os céus, a terra, o mar e tudo o que existe, tanto nos céus, como na terra.

E Isaías aproximadamente 700 anos antes de Jesus nascer profetizou a salvação que viria através do Senhor Jesus. Em Isaías 61.1 e 2 ele nos diz:“O Espírito do Senhor JEOVÁ está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar a liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor…”

Quando o Senhor Jesus estava na sinagoga foi lhe dado o livro de Isaías, onde leu a profecia de Isaías 61.1 e 2 e disse: “Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.” – Lucas 4.18 e 19

 

“E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca…” – Lucas 4.22

 

DESENVOLVIMENTO

 

Jesus veio a este mundo enviado por seu Pai por amor às nossas vidas, nos trazendo a salvação, cumprindo as profecias a seu respeito.

 

O evangelho de João nos fala que “No princípio, era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus.” – João 1.1

Quando Deus criou o mundo, o Senhor Jesus estava presente em toda a criação. O verbo é a Palavra que exprime uma ação, que age, é dinâmica.

Podemos ver o poder criador dando vida. Trazendo a luz tudo o que era oculto. “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez.” – João 1.3

Quando Jesus iniciou o seu ministério, logo após o seu batismo, cheio da autoridade do Espírito Santo, ensinava o povo que o Reino de Deus estava próximo. O povo se maravilhava com as suas palavras de autoridade.

Certa vez atravessando o mar, Jesus, cansado, adormeceu. Sobreveio uma tempestade, e as ondas subiam por cima do barco e os discípulos amedrontados acordaram o Senhor Jesus dizendo-lhe: “Mestre, não se te dá que pereçamos?’’ Eles sabiam que pereceriam.

Jesus repreendeu o vento e disse ao mar: “Cala-te, aquieta-te”. E o vento se aquietou, e houve grande bonança. – Marcos 4.39 (Palavra de livramento e segurança)

À mulher que tinha fluxo de sangue Jesus disse-lhe: “Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal.’’ – Marcos 5.34 (Palavra que traz a paz e saúde)

Ao paralítico, que estava junto ao tanque de Betesda, Jesus disse-lhe:“Levanta-te, toma tua cama, e anda.”  – João 5.8 (Palavra que nos põe de pé)

Ao cego de Jericó Jesus disse-lhe: “Vê; a tua fé te salvou.” – Lucas 18.42 (Palavra que nos acrescenta a fé)

Na ressurreição de Lázaro Jesus disse-lhe: “Lázaro, vem para fora.’’ – João 11.43 (Palavra que transforma a morte em vida)

Ao paralítico de Cafarnaum Jesus disse-lhe: “Filho, tem bom ânimo; perdoados te são os teus pecados.” – Mateus 9.2 (Palavra que perdoa o pecado e renova as forças)

Ao malfeitor na crucificação Jesus disse-lhe: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” – Lucas 23.43 (Palavra de descanso e de vida eterna)

João escreveu que se todas as maravilhas que Jesus operou fossem escritas o mundo todo não poderia conter nos livros que se escrevessem. João 21.25

CONCLUSÃO

 

Na palavra do Senhor Jesus há poder para fazer muito mais, além do que pedimos ou pensamos. Efésios 3.20

 

A palavra do Senhor Jesus tem poder para mudar qualquer situação.

Ninguém falou como Este homem: O Senhor Jesus tem todo poder e autoridade para operar tanto o querer como o efetuar. Filipenses 2.13

Somos testemunhas da operação da palavra do Senhor Jesus em nossas vidas e de nossos familiares. Por este poder da palavra do Senhor temos alcançado livramentos, libertações, saúde, paz, alegria, a nossa fé é renovada, novo ânimo na caminhada e o mais importante, a salvação, a vida eterna que a sua palavra nos garante.

“As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos” João 10.27 e 28.

Estudo para senhoras 21/05/2014

REUNIÃO DE SENHORAS 21.05.2014

ASSUNTO: O FRUTO ALCANÇADO ATRAVÉS DOS RECURSOS DA GRAÇA

TEMA: A PALAVRA

 

‘’Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. ’’ Hebreus 4.12

 

INTRODUÇÃO

 

O propósito do Senhor para este momento é que nós conheçamos a Palavra viva. A Palavra é viva porque o Seu Autor está vivo e Ele está no nosso meio.

 

Palavra de Jesus é a palavra de vida, pois o Senhor é o dono da vida aquele que foi morto, mas reviveu. Quando o homem alcança este mistério, descobre o projeto da vida eterna. Descobre que a vida é Jesus, este é o mistério que está na Palavra.

 

O Senhor tem nos ensinado a viver e a usarmos a sua Palavra na caminhada. E, no conhecimento e na consulta à Palavra alcançamos a direção do Espírito Santo para as nossas vidas.

 

DESENVOLVIMENTO

 

A Palavra é Jesus. O próprio Senhor Jesus falou: “Eu sou a Luz do mundo.”Ele é a revelação e através da sua Palavra Ele tem se revelado a nós. Caminhando nesta luz, na revelação, no mistério que é a sua Palavra, certamente alcançaremos o propósito de Deus para as nossas vidas, que é a vida eterna.

 

Quando damos ouvido, obedecendo a Palavra do Senhor, podemos contemplar a operação do Espírito Santo nas nossas vidas.

 

Certa vez Simão, havendo pescado toda a noite, nada apanhou. O Senhor que é conhecedor de todas as coisas mandou que ele lançasse a rede ao mar.

 

Simão questiona: “havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre tua palavra (sobre a tua revelação, sobre o que tu dizes), lançarei a rede.” – Lucas 5.5

Em obediência à tua Palavra, à tua revelação, farei a Obra. Esta obediência nos leva a realizarmos a Obra do Senhor.

 

À luz da revelação da Palavra os nossos olhos são abertos, nossos pés são fortalecidos na caminhada e os corações são purificados.

 

APLICAÇÃO

 

O fruto da Palavra em nós é andarmos na revelação, na direção do Espírito Santo de Deus, na luz, fazendo a sua Obra, transmitindo esta herança maravilhosa aos que estão ao nosso redor.

 

Só esta Palavra pode nos trazer: paz, alegria, comunhão, refrigério, libertação, segurança, saúde, salvação, que são os frutos que colhemos em conhecê-la e vivê-la. E por esta Palavra vamos vencer o mundo e herdaremos a vida eterna.

 

‘’E eles venceram pelo sangue do Cordeiro e pela Palavra do seu testemunho;…’’ Apocalipse 12.11


Clique e ouça a Rádio Maanaim

Calendário

abril 2021
S T Q Q S S D
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Usuários Online

Users: 1 Guest, 3 Bots