Get Adobe Flash player

Reunião de Jovens

Reunião de Jovens

PALAVRA PARA O PROFESSOR

PALAVRA PARA O PROFESSOR

ESTUDOS BÍBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS – 9-nov-2013

ASSUNTO: DOUTRINA DOS DONS ESPIRITUAIS NO NOVO TESTAMENTO

TEXTO FUNDAMENTAL: I CORINTIOS 12:8-10

 

DENTRE OS DONS CITADOS EM I CORÍNTIOS 12:8-10, PAULO, EM I CORÍNTIOS 14:3, AFIRMA QUE A PROFECIA EDIFICA, EXORTA E CONSOLA.

 

IDENTIFICAR E COMENTAR TEXTOS BÍBLICOS NO VELHO TESTAMENTO NOS QUAIS A PROFECIA:

– EDIFICA

– EXORTA

– CONSOLA

FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA.

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

==================================================================

Obs.: os comentários em fonte itálica são transcrições dos estudos recebidos.

 

INTRODUÇÃO

Encontramos em toda a Bíblia, com muita clareza, a doutrina sobre os dons espirituais. No Velho Testamento encontramos essa doutrina em cada ato da operação do Espirito Santo dada em porções sob medida a servos que foram vasos nas mãos do Senhor para falarem da parte de Deus. Cada uma das manifestações do Espirito Santo no Velho Testamento mostrava o CARÁTER PROFÉTICO DOS DONS ESPIRITUAIS que passaram a ser dados sem medida à igreja quando do derramamento do Espirito Santo sobre ela.

Porém, os apóstolos em suas cartas é que deixam mais clara a doutrina sobre os dons espirituais na vida da igreja, principalmente Paulo em I aos Coríntios capitulos 12,13 e 14.

=========================

 

DONS CITADOS POR PAULO EM I CORÍNTIOS 12:8-10:

SABEDORIA, CIENCIA, FÉ, DONS DE CURAR, MARAVILHAS, PROFECIA, DISCERNIMENTO, LINGUAS EXTRANHAS, INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS.

 

AFIRMAÇÃO DE PAULO EM I CORÍNTIOS 14:3, QUE A PROFECIA EDIFICA, EXORTA E CONSOLA.

1 Coríntios 14:3 – “Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação”.

A profecia que edifica quando ela se cumpre, quando aquilo que o Senhor falou se cumpriu.

A profecia exorta quando o Senhor fala antecipadamente para aviso ou advertência. Exortar e corrigir, aconselhar, etc

A profecia consola, quando o Senhor fala sobre uma promessa de bênção.

========================================================

 

1. IDENTIFICAR E COMENTAR TEXTOS BÍBLICOS NO VELHO TESTAMENTO NOS QUAIS A PROFECIA:

– EDIFICA

 

NO TEXTO DE:- II CRÔNICAS 20:17

“Nesta peleja, não tereis de pelejar; parai, estai em pé e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém; não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco.”

 

COMENTÁRIO:

Uma profecia entregue pelo profeta Jaasiel, no meio da congregação de Israel que, ao se cumprir, trouxe para o povo uma grande edificação espiritual. Haja vista os versos 18 e 19, bem como os versos 29 e 30. (podem ser lidos).

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA PARA A IGREJA

Em todas as batalhas da fé no meio da igreja, quando o Espirito Santo se manifesta é para garantia a vitória aos seus servos e o resultado disso tem sido de grande edificação para a igreja. A igreja é edificada quando vê as profecias sendo cumpridas no meio da igreja: prova disso é o Culto Profético. Quando uma pessoa, visitante ou um membro, se identifica com os dons espirituais a igreja é edificada, pois toma conhecimento de que o Senhor está vivo e fala no meio dela.

 

TAREFA: identificar na prática a aplicação profética: Exemplo de um irmão que entrega um dom destinado ao culto ou numa visita e ele vê esse dom sendo cumprido na vida de alguém, esse irmão é edificado, porque tomou conhecimento de que Deus confirmou aquilo que pôs na sua boca para falar. Também quando um membro vê cumprida uma profecia do “corpo” em sua própria vida, isso é mais uma experiência de edificação espiritual, tanto para a igreja quanto para aquele membro.

 

Joel 2:28-32 – a igreja foi edificada no derramamento do Espirito Santo, pois ela passou a possuir os dons espirituais que são o resultado da operação do Espirito Santo no meio dela.

———————————————————————

 

2. IDENTIFICAR E COMENTAR TEXTOS BÍBLICOS NO VELHO TESTAMENTO NOS QUAIS A PROFECIA:

– EXORTA

 

NO TEXTO DE: ISAIAS 38:1

“Naqueles dias Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal; e veio a ele o profeta Isaías, filho de Amós, e lhe disse: Assim diz o SENHOR: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás”.

A exortação do Senhor ao rei Ezequias foi no sentido de prepara-lo para enfrentar um juízo do pecado que é a morte. O Senhor o avisa antecipadamente para a necessidade de por em ordem a sua vida, o que ele faz voltando-se para o Senhor em lágrimas ao virar para a parede e chorar. Aquele gesto de arrependimento levou o Senhor a fazer o profeta Isaias retornar ao rei com uma promessa de vida por mais 15 anos.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA PARA A IGREJA

O Espirito Santo está sempre nos enviando revelações de exortações corrigindo nossa maneira de viver, advertindo-nos através dos dons espirituais. Isso mostra o zelo do Senhor conosco quanto a nossa santificação. Outras vezes nos exorta quando queremos tomar uma direção para as nossas vidas que não é do Senhor. Nada nos acontece, sem antes o Senhor avisar através da profecia. (Amós 3:7). Exortação não é exposição do membro diante dos outros, pois ela é feira pelo Espirito Santo e isso é entre o Senhor e o membro da igreja.

 

TAREFA: identificar na prática a aplicação profética: você seria capaz de contar uma experiência de uma exortação do Espírito Santo dada com antecedência?

 

 (Jonas 1:2) – A EXORTAÇÃO A NÍNIVE AO ARREPENDIMENTO

——————————————————————

 

3.1. IDENTIFICAR E COMENTAR TEXTOS BÍBLICOS NO VELHO TESTAMENTO NOS QUAIS A PROFECIA:

– CONSOLA

 

NO TEXTO DE: ISAÍAS 9: 6 e 7

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus forte, Pai da eternidade, Príncipe da paz”.

“Do incremento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar em juízo e em justiça, desde agora para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto”.

 

Através da profecia Deus consola a Israel que naqueles dias os resultados dos desvios cometidos pelo povo prometendo-lhe um filho que tiraria Israel da angustia, trazendo luz para os que andavam em trevas e habitavam na região da sombra da morte.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA PARA A IGREJA

Está profecia gloriosa entregue a Israel pelo profeta Isaías, apontava para o Senhor Jesus e a grande salvação que traria não só para Israel mais para todo o homem.

Que consolo maravilhoso é sabermos que aquele que um dia começou a realizar a sua Obra redentora em nossas vidas, quebrando o jugo do pecado que pesava sobre nós, nos tirando de um caminho de trevas, de incertezas, de tropeços, para agora andarmos na luz, na direção do seu Espírito Santo, no caminho seguro ruma a eternidade. Nos tirou da sombra da morte, ou seja, de debaixo de um juízo de morte, para nos dar a certeza da vida eterna.

Meus amados irmãos o nome deste menino, o nome deste filho, não deixa dúvidas de que esta profecia apontava para o Senhor Jesus, pois revelam os atributos que só nele encontramos e que o Pai celestial tem colocado a disposição do homem:

  • Maravilhoso – nos deu uma nova vida;
  • Conselheiro – nos ensina tudo o que nos convém saber;
  • Deus forte – venceu a morte para nos dar vida eterna;
  • Pai da eternidade – só encontramos vida eterna;
  • Príncipe da paz – só nele temos paz com Deus. Fomos reconciliados com Deus.

 

A profecia mais consoladora que se cumpriu em nós foi à dádiva de Jesus que foi feita pelo Pai em cumprimento da Sua palavra.

 

(1 Samuel 2:18-21) – O CONSOLO PARA ANA

——————————————————–

PALAVRA AO PROFESSOR DE JOVENS

ASSUNTO: DOUTRINA DE CORPO NO VELHO TESTAMENTO

TEXTO FUNDAMENTAL: CANTARES 4:1-4

 

IDENTIFICAR E COMENTAR EM CANTARES 4:1-4, EXPRESSÕES QUE APONTAM PROFETICAMENTE PARA A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO, CONFORME I CORÍNTIOS 12:27.

FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA.

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

==================================================================

 

1 aos Coríntios 12:27 – Ora, vós sois o corpo de Cristo e seus membros em particular.

 

INTRODUÇÃO

A doutrina sobre a igreja como Corpo de  Cristo está baseada em toda a Biblia, desde Gênesis até Apocalipse. No Velho Testamento encontramos essa doutrina na forma de figuras, ou seja, profeticamente.

Usando uma linguagem poética, o livro de Cantares de Salomão no seu capitulo 4, fala profeticamente sobre a igreja como corpo de Cristo, através da forma como descreve cada parte do corpo. Mostra ali que o que agrada ao Senhor na igreja é ela ter a forma de corpo de Cristo.

Este capítulo fala do preparo da igreja pelo Espírito Santo, para ser arrebatada, para completar o Projeto na eternidade. O Pai, o Filho, o Espírito Santo e a noiva do Filho: a Igreja. Descreve como o Senhor quer ver a igreja no dia do seu arrebatamento. Esse desejo do Senhor é mencionado na eternidade. Salomão penetra na eternidade e ouve a conversa do Senhor com o Pai na eternidade, a respeito da noiva.

NO CAPITULO 4 está a identidade da noiva que o Senhor quer arrebatar: a identidade de “corpo de Cristo”, enfim, o padrão da exigência do Senhor. A igreja é bela, porque foi o Espírito Santo quem a adornou, transformando-a em Corpo de Cristo.

Porém é no Novo Testamento que temos a afirmação clara dos apóstolos em suas cartas referindo-se à igreja como Corpo de Cristo, conforme Paulo afirma em I aos Coríntios capitulos 12,13 e 14, quando fala sobre os dons espirituais.

=========================

 

IDENTIFICAR E COMENTAR EM CANTARES 4:1-4, EXPRESSÕES QUE APONTAM PROFETICAMENTE PARA A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO, CONFORME I CORÍNTIOS 12:27.

 

IDENTIFICAÇÃO (vs.1):

Cantares 4:1 – “Eis que és formosa, amiga minha, eis que és formosa; os teus olhos são como os das pombas entre as tuas tranças, o teu cabelo é como o rebanho de cabras que pastam no monte de Gileade”.

 

COMENTÁRIO:

Os olhos e as tranças. A comparação dos olhos da noiva como os das pombas e isso entre as tranças dos cabelos.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

Por que os olhos?  Porque refletem a luz. Quanto mais refletem a luz, mais os olhos enxergam. Quando mais luz absorve, mais enxerga o caminho. A primeira característica de beleza da igreja está em absorver a revelação para enxergar o caminho.

– A Igreja que é corpo de Cristo não é cega, mas tem luz, tem Revelação. A igreja cega não é a noiva. Não tem revelação, nem formosura: anda cegamente no caminho.

– O que a Igreja reflete e transmite no olhar? Resposta: A luz, a revelação, Jesus. Não reflete razão nem argumentos. A Igreja reflete um Jesus, vivo, operante, ressuscitado.

– Por que Ele acha belo o olhar da Igreja? Porque Ele se vê refletido nela. Quando?

– Quando há salvação, é Ele quem está operando. Quando há cura, é Ele quem está curando. É isso que a igreja tem de atraente aos olhos do Senhor no olhar da igreja como Corpo de Cristo.

– “Como o olhar das pombas”. (vs.1:b) A igreja Corpo de Cristo vê como o Espírito Santo vê.

– “…entre as tuas tranças…”. (vs.1:c) Ideia de conjunto: não é uma visão isolada, mas no “corpo”. A mente firme no Senhor, para não impedir a visão.

======================

IDENTIFICAÇÃO (vs.2):

Cantares 4:2 – “Os teus dentes são como o rebanho das ovelhas tosquiadas, que sobem do lavadouro, e das quais todas produzem gêmeos, e nenhuma há estéril entre elas”.

 

COMENTÁRIO:

Os dentes. Os dentes dão uma ideia de conjunto – corpo. Clareza, limpeza.

A clareza e a limpeza dos dentes comparada com o rebanho das ovelhas tosquiadas.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

A igreja como Corpo de Cristo é um conjunto harmônico de membros que cada um contribui para manter o corpo vivo.

A forma de a igreja assimilar o alimento que vai para corpo é com clareza e tudo colocado em ordem para as ovelhas possam viver em santificação como o rebanho tosquiado. A lã tosquiada tem que ser limpa: isso é santificação.

– “sobem do lavadouro”: clamor constante no coração – limpeza: santificação. A igreja que o Senhor vai arrebatar é uma igreja limpa através do clamor pelo sangue de Jesus.

– “Produzir gêmeos”: produzir iguais. 2 = comunhão, corpo. A igreja cresce como corpo.

======================

 

IDENTIFICAÇÃO (vs.3):

Cantares 4:3 – “Os teus lábios são como um fio de escarlata, e o teu falar é doce; a tua fronte é qual pedaço de romã entre as tuas tranças”.

 

COMENTÁRIO:

Os lábios e o falar. Os lábios comparados ao fio de escarlate. Escarlate: vermelho vivo, forte. A boca fechada produz um contorno dos lábios semelhante ao fio de escarlate.

O falar que transmite doçura.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

O vermelho dos lábios se manifesta quando a boca se fecha. Isso fala do clamor pelo sangue de Jesus que é uma ação interior no corpo.

A igreja que transmite a revelação, seu falar é doce como o mel da palavra revelada, pois ela fala pelo Espirito Santo. O alimento que a igreja tem para dar é quando fala de Jesus.

– “A face (fronte) como pedaço de romã”: pedaço de romã é quando a romã se parte, por estar madura. Isso fala do amadurecimento da Igreja. Quem olha, vê os frutos maduros. A igreja é conhecida pelos frutos, porque os frutos representam a vida da igreja. Fechada, não é um fruto belo, mas aberta, manifesta toda a beleza do conjunto de seus frutos cristalinos. Cor vermelha do sangue de Jesus: o seu Espírito Santo operando em todo o conjunto.

A face madura da igreja se mostra através do teor profético de um culto cheio da presença do Senhor.

– “Entre as tuas tranças” – mente uniforme. Ideia de conjunto, corpo.

 

IDENTIFICAÇÃO (vs.4):

Cantares 4:3 – “O teu pescoço é como a torre de Davi, edificada para pendurar armas; mil escudos pendem dela, todos broquéis de valorosos”.

 

COMENTÁRIO:

“Torre da Davi”: Obra de Davi. Davi, o homem que agradou a Deus através da obediência.

– Lugar onde se guardavam as armas de Davi e de onde se vigiava o inimigo.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

– Pescoço: ligação entre a cabeça e o corpo: comunhão. Da união (comunhão) da cabeça com o corpo, surgem os elementos de guerra disponíveis na igreja desta última hora. A obra do Espírito Santo entre nós sempre se identificou com a obra de Davi.

– Armas que pendem dessa comunhão: 1.000 escudos: armas secretas: clamor, jejum, madrugada, consulta à palavra, dons espirituais. Broquéis de valorosos.

– não são escudos denominacionais ou de cultura bíblica.

Sugestões de mensagens

SUGESTÃO DE MENSAGEM

 

1.

ALIMENTO PARA A VIDA – II Reis 4:38-41

O profeta estava presente e todos em sua presença. Ali estava a panela e o fogo, mas faltava o alimento: da parte do Senhor tudo está pronto, mas o alimento precisa ser buscado com discernimento.

Um tipo de alimento:

Erva brava: uma estrutura de fé para a morte: por que

– foi colhida por um desconhecido. Um homem fez isso.(vs. 39 a)

– o interesse era encher a sua própria capa (vs. 39 b)

– erva desconhecida, trazendo o mal à panela (vs. 39 c)

– o alimento do homem é para a morte

 

Outro tipo de alimento:

A farinha (de trigo): uma estrutura de fé para a vida: por que

– foi trazida sob a palavra do profeta. Um profeta fez isso (vs. 41 a)

– o interesse era tirar a morte da panela, (vs. 41 b)

– erva conhecida que tirou o mal da panela e todos puderam comer (vs. 41 c)

– o alimento do Senhor é para a vida.

 

2.

A FÉ QUE NÃO SE MISTURA – Daniel 3:16-18

A estrutura de fé de Babilônia envolvia mistura, pois a adoração à estátua que o rei construiu era para ser adorada por todos os povos de diferentes religiões.

1.

A recusa em misturar-se: (vr. 16 b)

2.

O Senhor é quem faz essa separação e livra os seus servos da mão do inimigo (vs. 17 a)

3.

A consciência dos servos quanto ao que é obra de Deus e obra do homem (vs.18).

 

3.

A FÉ DA MULTIDÃO E A FÉ DOS DISCIPULOS – Mateus 13:36-43

A estrutura de fé da multidão consistia num caminho de retorno para trás, enquanto a estrutura de fé dos discípulos consistia no interesse deles em conhecer a revelação do mistério.

Direção da fé da multidão: voltar atrás. Fé exterior. Despedidos com a dúvida.

Direção da fé dos discípulos: estar aos pés de Jesus, dentro da casa dEle. Fé interior. Despedidos com a resposta.

1.

“Explica-nos”: desejo de conhecer os mistérios; sede da revelação (vs. 36)

2.

A primeira revelação foi conhecer Jesus como o Filho do Homem (vs. 37)

3.

A segunda foi descobrir que eram filhos do reino e não filhos do maligno (vs. 38)

4.

Por fim Jesus lhes falou da profecia, ou seja, os fatos vindouros.

 

4.

A SEMENTE DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO – Gálatas 1:11-12

Paulo fala aos irmãos da Galácia sobre como foi plantado e quem plantou no coração dele a semente do evangelho que ele anunciava.

O Evangelho anunciado por Paulo: o trigo, a boa semente.

O Evangelho recebido e aprendido de homens: o joio, a má semente.

1.

“não é segundo os homens”: evangelho segundo os homens é semente de joio. É razão, argumento, etc. (vs. 11).

2.

“não recebi, nem aprendi de homem algum”: uma confirmação de que não deixou misturar o joio recebido de Gamaliel e de pais religiosos, com o evangelho puro recebido de Jesus (vs. 12)

3.

“mas pela revelação de Jesus Cristo”: a revelação de Jesus Cristo, desde o caminho de Damasco, era sempre a marca do evangelho que Paulo anunciava.  (vs. 12)

 

 

5.

A FÉ COMO A SEMENTE QUE VEM DO CÉU

– Salmo 78:24  “ e fizesse chover sobre eles o maná para comerem, e lhes tivesse dado do trigo do céu”.

 

1.

“fizeste chover” ? A chuva no deserto era ummilagre. O maná representava esse milagre para o povo de Deus na caminhada pelo deserto. O milagre da salvação provém de Deus

2.

“sobre eles” ? A salvação vem do alto, é dom de Deus. Vem de cima para baixo e não de baixo para cima, pois não vem do homem.

3.

“o maná” ? Era semelhante a uma semente. A boa semente que caia do céu durante a noite antes do dia amanhecer. Assim como o maná caia diariamente, o alimento que vem da eternidade é para o sustento diário na caminhada rumo a eternidade.

4.

“para comerem” ? A alma faminta se nutre somente daquilo que vem de Deus, que é a fé genuína, a revelação de Jesus, o pão da vida.

5.

“lhes dera” ? Jesus é dom de Deus.

6.

“trigo do céu” ? O Senhor Jesus é o único Salvador,o Redentor revelado pela Obra de Deus e não um Jesus histórico, filosófico, apresentado pela Obra doHomem

 

Resumo para os professores de jovens 17/08/2013

PALAVRA AO PROFESSOR DE JOVENS

 

ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS E EBD – 17-18/ago/1 3

– ASSUNTO: A FÉ NA PARÁBOLA DO TRIGO E DO JOIO

– TEXTO FUNDAMENTAL: MATEUS 13:24-30 e 36-43

 

EM MATEUS 13:24-30, O SENHOR JESUS FALA DE DUAS DIFERENTES ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DO TRIGO E OUTRA NA FIGURA DO JOIO.

 

ATIVIDADES:

1.     IDENTIFICAR A OBRA DO HOMEM EM OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS NAS ESTRUTURAS DE FÉ REFERIDAS NA PARÁBOLA.

2.     FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

===================================================================

INTRODUÇÃO

O Senhor Jesus, em Mateus 17:20, usa a figura do grão (ou semente) de mostarda para falar sobre a fé. Portanto, a semente (ou grão) fala figuradamente da fé.

Nas sete parábolas do Capitulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus fala profeticamente sobre o Reno de Deus que iria ser estabelecido na igreja ao longo da existencia dela. Em cada uma delas o Senhor deixa sempre o ensino acerca de duas estruturas de fé que correm paralelamente opondo-se (ou contrastando-se) uma à outra. De um lado uma representando a Obra de Deus, mas de outro lado outra representando a obra do homem.

As sete parábolas do Reino, de Mateus 13, falam profeticamente sobre a igreja.

A Obra de Deus se firma, representada por ¼ da semeadura da boa semente que caiu em boa terra, e, portanto, dá seus frutos. A estrutura de fé na figura dos frutos da semente que caiu em boa terra, se completa na mesma estrutura de fé da parábola anterior, sendo agora na figura do trigo. As estruturas de fé que se opõem à Obra de Deus na parábola do semeador são facilamente identificáveis, pois possuem diferenças perceptíveis, porém na parábola do trigo e do joio essa diferente é mais difícil de ser percebida.

A Obra de oposição a Deus, baseada na estrutura de fé na figura dos três tipos de terra que se opõem à semeadura, se esfria, envaidece e cai, deixando o “primeiro amor” na condição de terras que não produziram os frutos.

O trigo representando a Obra de Deus é a figura da estrutura de fé que, na condição de boa terra, recebe a semente e produz os seus frutos. A igreja fiel recebe de bom grado a sã doutrina, porque a capacita para poder vive-la de tal forma a fazer a diferença entre o joio e o trigo, mesmo diante das lutas que para isto tem que enfrentar.

 

DUAS ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DO TRIGO E OUTRA NA FIGURA DO JOIO.

 

1.     ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DO TRIGO = OBRA DE DEUS

Mateus 13:24

“Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo;”

Mateus 13:37 – “E ele, respondendo, disse-lhes: O que semeia a boa semente é o Filho do Homem”,

A boa semente: O campo escolhido pelo Senhor para semear ou plantar a Sua boa semente é sempre o coração do homem no mundo o qual Deus “amou de tal maneira”. Isso é a estrutura de fé que caracteriza a Obra de Deus, na figura do trigo.

O trigo foi plantado pelo Senhor, na figura do pai de familia (vs. 27), por certo durante o dia, quando o semeador sai para semear. É o Senhor quem plantou a boa semente e é no celeiro do Senhor que os frutos serão recolhidos. A fé que vai para a eternidade é aquela que veio da eternidade.

 

2.     ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DO JOIO = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS

Mateus 13:25

“Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se”.

Mateus 13:38

“o campo é o mundo, a boa semente são os filhos do Reino, e o joio são os filhos do Maligno”.

A mistura do joio no meio do trigo é uma Obra do inimigo: A expressão “dormindo os homens” denota que a ação de oposição no plantio do joio foi na escuridão da noite. A escuridão da noite é sempre o campo e ação daquele que se opõe à obra de Deus. Isso caracteriza a estrutura de fé do homem que se opõe a Deus, pois denota cegueira espiritual. Uma visão obscura da Obra de Deus. Um plantio feito por um inimigo do pai de familia no meio do trigo, ou seja, a intenção do inimigo é misturar com o trigo algo parecido com ele, mas somente para confundir, semeando o joio da dúvida.

Imagine! Uma estruturura de fé inimiga de Deus, plantando no meio da lavoura de Deus uma semente de algo parecido com o fruto plantado por Deus! Que sutileza!

A obra do homem entra em oposição à Obra de Deus no comodismo, hoje o homem está dormindo, e o adversário trabalha durante a noite no sono espiritual do homem.

 

Mateus 13:26

“E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio”.

Mateus 13:38

“O inimigo que o semeou é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos”.

 

O trigo cresce e frutifica, aparecendo também o joio: a Obra do inimigo em oposição à Obra de Deus se apresenta quando o trigo cresce e frutifica:

A mentira, o mundo e a carne, na figura da estrugura de fé derivada das 3 terras de oposição da parábla do semeador, se consolidam agora na estrutura de oposição à Obra Deus, na figura do joio.

No primeiro período de crescimento, o joio é muito parecido com o trigo, e mesmo os agricultores mais experientes tem dificuldade para distingui-los. Mas quando a espiga aparece no pé, é bem fácil ver a diferença entre uma planta e outra. Por isso a separação só pode ser feita com facilidade na época da colheita, ou seja, na hora em que se veem os frutos de ambos.

 

Mateus 13:27-28

“E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio? E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois que vamos arrancá-lo?”

 

Sabedoria consiste em identificar no joio a obra do inimigo imitando a verdade com algo parecido com ela, mas é mentira.

Lidar com essa mistura não se faz com as próprias mãos:

Todas as vezes que uma mentira for contada na igreja com o nome de verdade, o Senhor Jesus diz que isso é obra de oposição a Deus. “Um inimigo fez isso”. Assim como o joio tem muitas semelhanças com o trigo, uma heresia, que é o desvio da verdade, para muitos também tem. A salvação pelas obras pode parecer com a salvação pela fé para alguns, mas, na verdade são duas coisas diferentes. Da mesma forma o reino material é diferente do reino espiritual, apesar daqueles que veem semelhanças. Uma coisa é tradição religiosa, outra coisa é a Bíblia como regra de fé e prática do crente. Aparentemente são coisas parecidas, mas existe uma grande diferença.

 

Mateus 13:29

“Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele.”

A mão do homem em função da falta de sabedoria não é capaz de fazer essa distinção, pois pode se confundir, cometendo um engano:

Trata-se de uma obra de oposição a Deus na forma de algo parecido com a Obra de Deus, mas não é. Tal é o sentido enganoso, pois joio se parece muito com trigo e, por isso, não se distingue isso com as mãos.

Por exemplo: a salvação pelas obras não pode substituir a salvação pela graça, a justificação pelas obras da lei, não pode substituir a justificação pela fé em Cristo Jesus. É muito parecido, mas é joio e quem planta esse joio faz uma oposição a Deus. A heresia se parece com a verdade, mas não é a verdade, pois é uma distorção da verdade, e se opõe á verdade.

 

Mateus 13:30

“Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro”.

 

Mateus 13:40-43

“40 – Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo. 41- Mandará o Filho do Homem os seus anjos, e eles colherão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que cometem iniqüidade. 42 – E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali, haverá pranto e ranger de dentes. 43 –  Então, os justos resplandecerão como o sol, no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça.

 

Quem separa o joio do trigo é a mão do Senhor:

Distinguir ou separar joio do trigo não é tarefa para as mãos dos homens, mas essa separação é feita somente por uma operação do Espirito Santo. O processar da ceifa é feito sob a palavra do Senhor Jesus, através do Espírito Santo: “direi aos ceifeiros”. Até ao seu arrebatamento, a igreja vai conviver com o joio, mas o Espirito Santo vai operndo na vida da igreja a sabedoria necessária para ela saber como fazer a separação daquilo que é destinado ao fogo e aquilo que é destinado ao celeiro do Senhor.

O joio é uma planta muito parecida com o trigo, mas, não serve para a alimentação do homem, podendo até envenená-lo. Produz grãos semelhantes aos do trigo, porém menores, de cor mais escura, e cuja farinha mesclada com a do pão pode produzir doenças.

 

Separar o trigo do joio não é uma tarefa fácil para o homem que não conhece a Obra perfeita de Deus. A mesma planta, a mesma cor, o mesmo crescimento, porém sem frutos, pois semente de joio, embora seja tecnicamente chamada de fruto, ela:

sufoca a planta, tira a seiva, mina o grão, enfraquecendo-o ao tirar seus nutrientes, e diminui a colheita do trigo.

DIFERENÇAS

1.     São plantas parecidas, porém o joio não dá fruto para se comer, enquanto o fruto do trigo nos dá o pão. Mt:7:16 – “Pelos frutos se conhece a árvore”.

2.     Até mesmo quando o vento sopra sobre o trigal, o trigo se inclina ou se encurva para baixo por ser maleável à ação do vento, porém o joio permanece resistente a essa ação.

3.     O joio estando maduro ele continua de pé, já o trigo quando vai madurando ele vai se encurvando dando sinais que está na hora de colhido.

No verso 36, enquanto a multidão foi embora sem nada entender, os discípulos se preocuparam com a explicação da parábola. A igreja fiel de Jesus escolhe estar sempre aos pões dEle, para saber a verdade e conhecer a profecia para estar preparada para  resplandecer como o sol no dia da ceifa.

 

Caracteristica da estrutura de fé na figura do Trigo:

Ter ouvidos para ouvir – verso 9

Conhecer os mistérios do reino dos céus – verso 11

Bem aventurança para os olhos que veem e para os ouvidos que ouvem – verso 16

O entendimento claro de todas estas coisas – verso 51

Assim é a Obra de Deus.

Resumo para os professores de jovens 10/08/2013

IGREJA CRISTÃ MARANATA – PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE

 

PALAVRA AO PROFESSOR DE JOVEM
ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS – 10/ago/13

?- ASSUNTO: A FÉ NA PARÁBOLA DO SEMEADOR

?- TEXTO FUNDAMENTAL: MATEUS 13:3-8 e 18-23

 

EM MATEUS 13:3-8, O SENHOR JESUS FALA DE DUAS DIFERENTES ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DA BOA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE 3 TIPOS DE TERRA QUE NÃO PRODUZEM RESULTADO NA SEMEADURA.

 

ATIVIDADES:

1.

IDENTIFICAR A OBRA DO HOMEM EM OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS NAS SEGUINTES FIGURAS:

“…AO PÉ DO CAMINHO…”

“…EM PEDREGAIS…”

“…ENTRE ESPINHOS…”

2.

FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

===================================================================

 

INTRODUÇÃO

O Senhor Jesus, em Mateus 17:20, usa a figura do grão (ou semente) de mostarda para falar sobre a fé. Portanto, a semente (ou grão) fala figuradamente da fé.

Nas sete parábolas do Capitulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus fala profeticamente sobre o Reno de Deus que iria serestabelecido na igreja ao longo da existencia dela. Em cada uma delas o Senhor deixa sempre o ensino acerca de duas estruturas de fé que correm paralelamente opondo-se (ou contrastando-se) uma à outra.

Na primeira, três diferentes terrenos se opõem à boa semente, na segunda o joio se opõe ao trigo e na terceira a estrutura da grande árvore contrasta com a estrutura da semente, no caso, o grão de mostarda.

Mais adiante a simplicidade de 3 medidas de farinha écontrastada pela aparência de uma massa levedada pelo fermento de uma mulher, como também o campo do interesse do homem oferece contraste ao tesouro, ocultando-o aos olhos de todos. Depois, um punhado de pérolas sem valor contrasta também com a pérola de grande preço e, por fim, os peixes bons recolhidos no cesto são constrastatos pelos peixes ruinslançados fora na areia da praia do mar.

Enfim, as sete parábolas do Reino, de Mateus 13, contam“a história profética da igreja”.

 

DUAS DIFERENTES ESTRUTURAS DE FÉ:

 

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: BOA SEMENTE= A OBRA DE DEUS

Mateus 13:3 – (JFA-ERC-1995)

“E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.”

Mateus 13:24 – (JFA-ERC-1995)

“…O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo”

Mateus 13:18 – (JFA-ERC-1995)

“Escutai vós, pois, a parábola do semeador”.

 

O semeador saia ao campo para semear a sua semente no inicio do dia levando consigo os melhores grãos escolhidos (a boa semente) para que produzisse os melhores frutos. A expressão “boa semente” é encontrada no verso 24.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

Da mesma forma o Reino de Deus no meio da Igreja começou com o trabalho da semeadura da Palavra já no Pentecostes (Atos 2), quando a melhor semente que foi uma mensagem profética entregue por Pedro produziu os bons frutos de salvação para 3 mil almas que ali se renderam ao Senhor Jesus, aceitando a semente da Palavra nos seus corações. A semente é a Palavra e a Palavra é Jesus. Assim é a Obra de Deus.

 

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: TERRA AO PÉ DO CAMINHO = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS

Mateus 13:4 – (JFA-ERC-1995)

“E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;”

Mateus 13:19 – (JFA-ERC-1995)

“Ouvindo alguém a palavra do Reino e não a entendendo, vem o maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho;”

 

A primeira parte da semente encontra uma terra que fica ao pé do caminho, ou seja, à beira do caminho e por não ter penetrado na terra, as aves comeram a semente. Não entender a palavra do Reino (vs. 19) é uma oposição ou recusa ao plantio da boa semente e isso ocorre numa terra de beira de caminho. As terras de beira de caminho são geralmente duras e soladas pelas pisadas de quem passa pelo caminho. A semente não penetra em terra dura, mas fica exposta às aves.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

O Caminho é Jesus. Estar ao pé do caminho é estar fora do caminho, arredio ao caminho, enfim, é não andar no caminho. Isso gera dureza no coração, que é a incredulidade. A ação do maligno consiste em arrebatar a Palavra (a boa semente) do coração daquele que está à beira do caminho, mas não no caminho, que é Jesus. Esta é a figura do mau crente, pois fica à beira do caminho. A semente não penetrou na terrado seu coração, por ser terra dura (incredulidade, rejeição).Isso é uma estrutura de fé que se opõe à fé verdadeira: uma fé baseada num evangelho sem profundidade, na superficialidade da vida espiritual. O crente que não vive o evangelho genuínoe, assim, o falso crente torna-se presa fácil do inimigo. Assim é a obra do homem em oposição à Obra de Deus

 

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: TERRA DE PEDREGAIS = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS

Mateus 13:5-6 – (JFA-ERC-1995)

“E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.”

Mateus 13:20-21 – (JFA-ERC-1995)

“porém o que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; mas não tem raiz em si mesmo; antes, é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se ofende;”

 

Nesta parte da semeadura a semente penetrou na terra, germinou e logo nasceu, mas os pedregais se constituiram um obstáculo para o crescimento da planta, pois não tinha raíz e, por isso queimou-se e secou-se sob a ação do sol.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

Outro tipo de crente está representado aqui na parábolapelo terreno de pouca terra, pouca profundidade. Uma esttrutura de fé assim se opõe à fé verdadeira, pois ela cria ocrente de pouca consistência ou de pouca estrutura, sem condições de suportar as lutas, mal formado, não suporta as provas, o valor da luta lhe faz murchar. As pedras (PEDREGAIS) não lhe agradam, isto é, a realidade da vida cristã de santificação é para ele muito dura.

Isso está relacionado ao falso cristianismo, teórico, horizontal, alienado, sem frutos, murcho, sem vida ou morrendo, contanto que lhe satisfaça a carne. É a estrutura de fé que cria a figura do crente que hoje está cheio de religiosidade e formalismo religioso, mas sem vida. Crente que não tem estrutura de vida espiritual. Vive só de animação. Brota rápido, mas não cresce.

É chamada salvação teológica ou intelectual que lhe propicia uma situação humanamente cômoda, porém perigosa espiritualmente. Viver uma fé assim é viver uma falsa doutrina oriunda da acomodação espiritual onde se prega filosofia de vida e não forma de vida.

Uma fé assim cria uma falsa doutrina que agrada os fracos e estimula o culto à própria personalidade, tornando o homem por demais sensível e intocável, quase sempre dependente das experiencias dos outros, pois não tem a sua própria experiencia com Deus. Assim é a obra do homem em oposição à Obra de Deus.

 

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: TERRA DE ESPINHEIROS = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS

Mateus 13:7 – (JFA-ERC-1995)

“E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.”

Mateus 13:22 – (JFA-ERC-1995)

“e o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;”

Nesta parte da semeadura a semente penetrou na terra, germinou, nasceu e até cresceu, mas os espinhos cresceram junto com a planta e a sufocaram.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

Tendo sido lançada entre espinhos, a reação do inimigo foi imediata, sufocando a planta. Os espinhos estão relacionados aos enganos do pecado e da falsa doutrina. É com esse inimigo que a igreja luta; sedução, riquezas, cuidados com o mundo, que são as formas mais usadas para enganar o convertido. Uma estrutura de fé assim se apõe à fé verdadeira, pois mistura aquilo que é santo com aquilo que é profano. Não se leva em conta que os espinhos precisam ser retirados para a planta crescer e se tornar frutífera. Santificação é algo imperioso na vida do crente. Ser evangélico sem santificação, conviver com o pecado sob a justificativa de que estamos todos debaixo da graça: isso é o engano dos espinhos que crescem junto com a planta. Assim é a obra do homem em oposição à Obra de Deus.

?

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: BOA TERRA = ACEITAÇÃO DA OBRA DE DEUS.

Mateus 13:8 – (JFA-ERC-1995)

“E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta””

Mateus 13:23 – (JFA-ERC-1995)

“mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro, sessenta, e outro, trinta.”

A semeadura na boa terra a colheita produziu o suficiente para suprir a falta existente nas terras que se opuseram à semeadura. Ainda que um produzisse trinta, outro sesssenta e outro cem, mas todos deram frutos.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

A Palavra é para ser ouvida e compreendida (vs. 23), ou seja, discernida e revelada, pois sem isso não haverá colheita de frutos, e, para isso, é necessária a ação do Espírito Santo. A boa terra é o coração do crente que ouve o que o Espirito diz à igreja, ou seja, aquilo que o Espirito Santo revela. Somente assim os frutos são produzidos com abundância. Todos dão frutos, pois na boa terra, que é a Obra de Deus, todos têmouvidos para ouvir.

UMA TAREFA:

Descobrir no Capítulo 13 DE MATEUS, as caracteristica da Boa Terra:

No verso 9: Ter ouvidos para ouvir

No verso 11: Conhecer os mistérios do reino dos céus

No verso 16: Bem aventurança para os olhos que veem e para os ouvidos que ouvem.

No verso 51: O entendimento claro de todas estas coisas

 

 

SUGESTÕES DE MENSAGENS

1ª. SUGESTÃO

Mar 4:26  E dizia: O Reino de Deus é assim como se um homem (O PAI) lançasse semente à terra, ESSA SEMENTE É JESUS

Mar 4:27  e dormisse (SUA MORTE), e se levantasse de noite ou de dia SUA RESSURREIÇÃO, e a semente brotasse e crescesse (ACEITAR A JESUS NO CORAÇÃO) , não sabendo ele como (A SALVAÇÃO É UM MISTÉRIO QUE SÓ É ENTENDIDO PELA REVELAÇÃO DO ESPIRITO SANTO).

Mar 4:28  Porque a terra por si mesma frutifica; primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga. (PROCESSO DE CRESCIMENTO ESPIRITUAL)

Mar 4:29  E, quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa. (O ARREBATAMENTO).

 

2ª. SUGESTÃO

 

II Cor. 9:10 – “Ora, aquele que dá a semente ao que semeia e pão para comer também multiplicará a vossa sementeira e aumentará os frutos da vossa justiça”;

 

Aquele que dá a semente: O Pai que nos deu Jesus

Dá semente ao que semeia: Anunciar a Jesus é a principal mensagem da igreja.

O Pão para comer: a Palavra do Senhor como alimento para a alma

Multiplicar a sementeira: as muitas revelações sobre a salvação no Senhor Jesus

Aumentar os frutos da justiça: os resultados da salvação que são vidas alcançadas

 

3ª. SUGESTÃO

 

Isaias 55:10-11 – “Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus  e para lá não tornam, mas regam a terra e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.

 

Descem a chuva e a neve dos céus: a palavra que sai da boca do Senhor como o refrigério da chuva e da neve. A salvação vem do alto.

Para lá não tornam: o Senhor não toma de volta aquilo que ele nos dá. Não volta vazia porque ele produz os resultados desejados pelo Senhor;

Regam a terra: a Palavra de Deus prepara o nosso coração para receber a salvação do Senhor;

Fazem produzir, e brotar: quando germina no nosso coração a benção do Senhor faz brotar em nós uma nova forma de vida.

Dar semente ao semeador: os salvos pelo Senhor Jesus são capazes de produzir outras conversões. Não volta vazia para o Senhor

Pão ao que come: Jesus como o alimento, o pão da vida. A palavra prospera porque o objetivo para o qual ela foi enviada é para que a mesa do salvo seja farta do Pão da Vida.

 

Estudos do mês de julho

ESTUDOS SOBRE “A HERANÇA” E “A ESTRUTUTRA DA FÉ”

MES DE JULHO/2013

==================================================

ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS – 13/jul/13

– ASSUNTO: O VALOR DA HERANÇA

– TEXTO FUNDAMENTAL: I REIS 21:1-3

 

EM I REIS 21:1-3, VEMOS A INSITÊNCIA DO REI ACABE EM NEGOCIAR A VINHA DE NABOTE, USANDO ARGUMENTOS PARA CONVENCÊ-LO.

 

ATIVIDADE:

FAZER O COMENTÁRIO E A APLICAÇÃO PROFÉTICA DA RECUSA DE NABOTE AOS SEGUINTES ARGUMENTOS DO REI:

– “…ME SIRVA DE HORTA…”

– “…POIS ESTÁ VIZINHA…”

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

 

Significado da palavra ARGUMENTO: raciocínio pelo qual se chega a uma conclusão ou um objetivo.

 

INTRODUÇÃO

A vinha de Nabote, que ele recebera de seus pais como herança, representava para ele o BEM MAIOR da sua vida. Todavia, dois inimigos daquela herança, o rei Acabe e a rainha Jezabel, reuniram seus esforços para tomá-la de Nabote. O rei vai usar 4 fortes argumentos para conseguir seus maus intentos com a vinha. Estaremos analisando neste estudo os dois primeiros argumentos usados pelo rei Acabe.

 

ARGUMENTO DO REI ACABE: – “…ME SIRVA DE HORTA…”

Ao usar a expressão “dá-me tua vinha para que me sirva de horta”, o rei Acabe queria transformar aquilo que era uma única cultura de caráter permanente, em várias culturas de caráter provisório. A horta é passageira. Ela dilui a herança. É uma cultura de vários frutos que são as hortaliças. Possui raízes na superfície.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

O objetivo maior do adversário é frustrar no homem o projeto da salvação, trocando os valores espirituais que são eternos, pelos valores materiais que são terrenos e passageiros.

Quer inverter os valores da nossa vida. Fazer o material dominar o espiritual.

O que vale mais para você, o material ou o espiritual? O homem tem a tendência de se voltar muito para aquilo que é material esquecendo o espiritual.

Os projetos do homem são passageiros e diluem a benção do Senhor. Projetos humanos não possuem profundidade, pois são superficiais. São projetos que levam o homem a enxergar apenas em direção àquilo que é terreno. Os frutos da horta são colhidos no nível do chão, enquanto o fruto da vinha é colhido no alto.

O cultivo de uma horta é feito com as mãos em contato com o chão, inclinando-se para baixo e olhando sempre para a terra. O adversário quer que o homem venha se encurvar diante das coisas terrenas para perder a visão da eternidade, querendo dar ao homem a oportunidade de experimentar várias coisas para tirar o sabor doce do Espírito Santo de nossas vidas. (um grupo de estudo)

A videira é uma planta que, se cuidar bem dela, nunca deixa de dar fruto e não precisa ser cortada para se colher o seu fruto. Assim é a benção do Espírito Santo no nosso meio, nunca deixa de produzir frutos e sempre se renova em nossas vidas. (outro grupo de estudo)

O que incomodava o rei Acabe na vinha de Nabote é que ela produzia o vinho. Também o que incomoda ao adversário é a bênção do Espírito Santo na vida do servo.

 

ARGUMENTO DO REI ACABE: – – “…POIS ESTÁ VIZINHA…”

A expressão do argumento do rei Acabe “pois está vizinha ao pé (junto) da minha casa”, era, sem duvida, um forte argumento, pois sendo vizinho, julgava-se no direito de tomar a vinha de Nabote, visto estar mais próximo, ao lado, e vivendo quase junto com Nabote.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

Os inimigos da herança estão bem perto de nós. O vizinho é aquele que está mais próximo de nós, vive conosco, está ao nosso lado. O rei Acabe é figura da ação do nosso adversário que “anda em derredor buscando a quem possa tragar”.

Vivemos hoje um mundo de envolvimento onde as informações influenciam a forma de vida e a conduta das pessoas. As pessoas hoje fazem tudo para influenciarem os outros com seus argumentos para convencê-los com suas propostas.

A Mídia, hoje, é que influencia os padrões sociais, estabelece os mitos na sociedade, dita as necessidades do homem e oferece soluções na vida do homem que está na dependência dos meios de comunicação. É preciso saber usar isso para que a herança não seja tomada.

Sendo vizinho, o rei se julga no direito de levantar todo o tipo de insinuação. “Você não usa? Você não faz? Você não se mistura” – “Afinal somos todos iguais”. “Sou seu vizinho”. “Vamos dar as mãos, pois somos todos filhos do mesmo Deus”. Esse argumento é para você achar que a vinha e a horta são a mesma coisa.

Esse é o argumento de quem procura se associar ao servo para destruir o que é profético em sua vida, através da mescla, do ecumenismo a fim de matar sua vida espiritual. (um grupo de estudo)

 

TESTEMUNHOS DE ESCOLHA ENTRE A VINHA E UMA HORTA:

TAREFA PARA OS JOVENS E OBREIROS (a serem levadas pelos professores de jovens ou diáconos responsáveis ou mesmo pelo pastor para a reunião)

 

1.     Citar exemplos na Bíblia de servos de Deus, além de Nabote, que escolheram a benção do Senhor deixando escolhas de bens materiais.

2.     Contar um testemunho de alguém que você conheça, que não trocou o bem espiritual pelo material, ainda que sofrendo duras contrariedades. Pode ser até a sua própria experiência.

 

APRESENTAMOS AQUI DOIS: testemunho de um pastor nosso que escolheu entrar para a reserva (aposentadoria militar) na penúltima graduação da Força Armada que servia para não ser promovido para a mais alta patente, visto que assim não poderia continuar sendo pastor. O Senhor o recompensou grandemente na vida militar.

Testemunho da jovem serva com relação ao namorado não crente, quando ele lhe disse: “ou você abandona essa igreja ou o nosso namoro termina aqui”. Ela escolheu o Senhor e isso resultou na conversão dele mais tarde.

Pode-se encerrar aqui enquanto estiverem fazendo esta tarefa, os créditos podem estar passando na tela e ao final a vinheta de encerramento.

Sugestões de mensagem no site: www.satelitemaranata.com.br

============================================================

 

20/jul/13 – ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS

– ASSUNTO: A FÉ, COMO O GRÃO DE MOSTARDA

– TEXTO FUNDAMENTAL: MATEUS 13:31-32

 

EM MATEUS 13:31-32, O SENHOR JESUS FALA DE DUAS ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DE UMA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE UMA GRANDE ÁRVORE.

 

ATIVIDADES:

É POSSIVEL IDENTIFICAR A OBRA DE DEUS E DO HOMEM NAS ESTRUTURAS DE FÉ REFERIDAS NA PARÁBOLA?

FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

===================================================================

RESPOSTA: sim, é possivel.

 

INTRODUÇÃO

O Senhor Jesus, em Mateus 17:20, usa a figura do grão (ou semente) de mostarda para falar sobre a fé. Portanto, a semente (ou grão) fala figuradamente da fé.

Nas sete parábolas do Capitulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus fala profeticamente sobre o Reno de Deus que iria ser estabelecido na igreja ao longo da existencia dela. Em cada uma delas o Senhor deixa sempre o ensino acerca de duas estruturas de fé que correm paralelamente opondo-se (ou contrastando-se) uma à outra.

Na primeira, três diferentes terrenos se opõem à boa semente, na segunda o joio se opõe ao trigo e na terceira a estrutura da grande árvore contrasta com a estrutura da semente, no caso, o grão de mostarda.

Mais adiante a simplicidade de 3 medidas de farinha é contrastada pela aparência de uma massa levedada pelo fermento de uma mulher, como também o campo do interesse do homem oferece contraste ao tesouro, ocultando-o aos olhos de todos. Depois, um punhado de pérolas sem valor contrasta também com a pérola de grande preço e, por fim, os peixes bons recolhidos no cesto são constrastatos pelos peixes ruins lançados fora na areia da praia do mar.

Enfim, as sete parábolas do Reino, de Mateus 13, são “a história profética da igreja”.

 

DUAS ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DE UMA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE UMA GRANDE ÁRVORE.

O grão de mostarda, apesar de ser uma semente tão pequena, quase imperceptível, tem no seu interior uma vida latente que é um mistério, capaz de se tornar um grande arbusto. E para que isto aconteça é necessário que a semente morra.

Assim é a fé, tão pequena e intrínseca, mas que quando se exterioriza ela morre. A semente é uma concentração de vida interior. Assim é a estrutura da Obra do Espírito Santo: uma fé de estrutura interior.

Todavia, embora seja um processo natural, para dar lugar ao surgimento de uma estrutura de uma grande árvore, na qual se aninham as aves dos céus, ocorre a morte da semente. Assim é a estrutura da obra do homem: uma fé exterior, resultado da morte de uma fé interior.

E quando isso ocorre? Quando o homem pega da semente (o grão de mostarda, ou seja, a fé) e lança-a no seu campo, ou seja, no campo do seu interesse.

 

 

 

IDENTIFICANDO A DIFERENÇA ENTRE AS DUAS ESTRUTURAS DE FÉ:

 

A SEMENTE (OBRA DE DEUS) UMA GRANDE ÁRVORE (OBRA DO HOMEM)
Vida interior (latente) Vida exterior
Concentração de vida interior Resultado da morte da semente
Sem aparência Aparência Exterior
O governo é de Deus O governo é do homem
Atrai o interesse espiritual Atrai os interesses materiais
Resultado do plantio no campo do interesse pela benção do Senhor Resultado do plantio no campo do interesse pela promoção do homem

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

IDENTIFICAR A OBRA DE DEUS E DO HOMEM NAS ESTRUTURAS DE FÉ REFERIDAS NA PARÁBOLA

 

É natural que o entendimento literal e até lógico da parábola leve à compreensão racional do seu sentido. Porém olhando para o entendimento profético da parábola, o que nos chama a atenção é o fato de o homem pegar do grão e lançar no seu campo o que leva a semente a morrer e em seu lugar surgir uma estrutura, mas de natureza contrastante. O profético não obedece à lógica, pois esta pertence ao raciocínio do homem.

A Obra do homem consiste sempre em querer transformar a Obra de Deus, simples e cheia de vida em coisa exterior, morta, onde o seu campo é traduzido pelos seus interesses, pela carne, pela vontade própria, pela desobediência, pela cultura, a mentira, a aparência, a simples religiosidade, os ritos, as liturgias de culto, etc.

UMA QUESTÃO A SER RESPONDIDA:

Quando lança mão da fé para plantá-la no campo do seu interesse, o anseio do homem é:

– ver a sua própria promoção,(__) ou ver a promoção do Senhor?(__)

– é liderar (__) ou ser lidarado pelo Senhor?(__)

– fazer crescer a sua própria Organização (__) ou fazer crescer a Obra do Senhor?(__)

Aquilo que é intrínseco (próprio) numa estrutura de fé interior, quando morre, ou seja, quando deixa de existir, passa a se exteriorizar, dando lugar a uma estrutura de fé apenas de paramentos e de aparência.

OUTRA QUESTÃO A SER RESPONDIDA:

Uma fé de aparência exterior você pode definir como:

– TEÓRICA ou prática?

– ALIENADA ou com envolvimento?

– INTELECTUAL ou espiritual?

– RACIONAL ou revelada?

A partir do entendimento de uma fé apenas de aparencia exteror, essa fé passa a ser teórica, alienada, intelectual, racionalista, preparando o homem e toda a sua religiosidade para defender os interesses do anti-Cristo que se identificará nos fins dos tempos.

O que acontece quando a fé se exterioriza? Resposta: A experiência com o Senhor fica dispersa. O homem passa a não depender mais do Espirito Santo. A partir daí a fé se torna filosófica.

Ora, se Jesus não se revelar, a fé se torna apenas teórica e reflete visivelmente o resultado dos interesses investidos nela. Esses interesses estão prefigurados, na parábola, na figura das aves que se aninham nos ramos da árvore para retirar seus frutos. São os interesses materiais, terrenos, temporais e próprios da vaidade do homem que se assenhoreia da Obra de Deus como se fosse sua. Aí a igreja se torna uma Ideologia de Poder Eclesiástico. A igreja fiel de Jesus nunca desejou se tornar uma ideologia de poder eclesiástico.

É natural que uma árvore deva abrigar ninhos, porém devemos convir que a árvore é para dar frutos e não criar (abrigar) passarinhos que destroem e aniquilam os frutos.

Por causa disso, a obra do homem sempre estará em oposição à Obra de Deus.

 

SUGESTÃO DE MENSAGEM:

DUAS ESTRUTURAS DE FÉ OPOSTAS NO VELHO TESTAMENTO

Gênesis 13:11  “Então, Ló escolheu para si toda a campina do Jordão e partiu Ló para o Oriente; e apartaram-se um do outro”.

FÉ INTERIOR: Abraão X FÉ EXTERIOR: Ló.

A ESCOLHA DE LÓ: critério da vista dos olhos: as campinas de Sodoma

A ESCOLHA DE ABRAÃO: critério da fé: o alto dos montes, uma visão sem limites.

OS RESULTADOS: Ló foi parar em Sodoma, enquanto a Abraão Deus mostrou uma descendência como o pó da terra (Gn. 13:16) e como as estrelas dos céus (Gn.15:5).

 

Você consegue encontrar no Velho Testamento alguma estrutura de fé de aparencia exterior e promovida pelo homem? É só citar o fato. Pelo menos três,

1.     A Torre de Babel – Gen. 11:4

2.     O Reinado de Saul – I Samuel

3.     A grande árvore de Daniel 4:10-12

===========================================

 

ESTUDOS A SEREM ENTREGUES PELOS PASTORES NO ULTIMO FIM DE SEMANA DE JULHO:

1.     A HERANÇA (NABOTE)

– 27-jul-2013 – EBJO – (Aula dada no Seminário Especial de Jovens)

Sugestão de mensagens 08/06/2013

Sugestões de mensagens:

I – O ESPIRITO SANTO AO LADO DO SERVO NA EVANGELIZAÇAO

Atos 8:29 – “Atos 8:29  E disse o Espírito a Filipe: Chega-te e ajunta-te a esse carro”.

A cooperação do Espirito Santo no trabalho da evangelização:

  1. O Envio do anjo do Senhor – verso 26
  2. O Espírito Santo ao lado para dar a direção – verso 29
  3. O homem na disposição de atender à revelação do Espirito Santo – verso 30

Quando Felipe através do Anjo do Senhor é orientado a ir até a banda do Sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, alí estava o Espirito Santo ao lado de Felipe para dar-lhe a direção para falar de Jesus ao Eunuco. O Espirito Santo permaneceu ao lado de Felipe em todo o tempo em que correu junto da carruagem. Também esteve ao lado dele quando o Eunuco o chamou para assentar-se junto a ele. E até na hora de entregar a revelação do Eunuco o Espirito Santo (verso 35) permaneceu ao lado de Felipe e por fim o arrebatou para ser achado em Azoto, no verso 39.

==========================================

II – A LEMBRANÇA DO DITO DO SENHOR

Atos 11:16 – “E lembrei-me do dito do Senhor, quando disse: João certamente batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo”.

 

  1. A igreja estando reunida na casa de Cornélio – versos 12-13;
  2. 2 a promessa de salvação para os gentios na casa de Cornélio – verso 14;
  3. O Batismo com o Espirito Santo como sinal da lembrança do dito do Senhor – versos 15 e 15;
  4. O Batismo com o Espirito Santo na vida do crente é o sinal da lembrança viva de Jesus.

 

A expressão lembrar revela o benefício de uma operação do Espirito Santo como o marco dessa lembrança, pois isso aconteceu no momento em que Pedro contava como o Senhor lhe lembrara do dito do Senhor através do sinal do Batismo com o Espirito Santo na casa de Cornélio.

======================================================

III – A PRESENÇA DO CONSOLADOR NO VALE DA SOMBRA DA MORTE

Salmo 23:4 – “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”.

  1. “O vale da sombra da morte” – os momentos de aflição na vida do servo;
  2. “tu estás comigo” – O Espirito Santo, chamado para estar ao nosso lado;
  3. “a tua vara me consola” – a proteção do Espirito Santo contra os nossos inimigos;
  4. “teu cajado me consola” – Cajado: a direção do Espírito Santo; Consolar: estar ao nosso lado, ajudar, encorajar, servir de apoio;

Ainda que Davi soubesse que ele enfrentaria muitas batalhas na caminhada mas ele não temia por que sabia que DEUS estava com ele e com seus cajado que e tipo do espirito santo o consolava a sim a igreja também sabe que o Espirito Santo nos momentos de aflições esta conosco e nos consola.

Sugestão de Mensagens 11/05/2013

SUGESTÃO DE MENSAGEM

 

1ª. MENSAGEM – JESUS, A PEDRA PRINCIPAL DE ESQUINA

“Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido”. I Pedro 2:6.

 

NA ESCRITURA SE CONTÉM: profecias sobre o Senhor Jesus como o fundamento da grande edificação espiritual da igreja.

PONHO EM SIÃO: Sião fala profeticamente da igreja. Foi o Pai quem O colocou como o fundamento da igreja.

PEDRA PRINCIPAL DE ESQUINA: todo o alinhamento da igreja está baseado no Senhor Jesus. Ele é o ângulo principal da edificação espiritual da igreja.

ELEITA E PRECIOSA: Como pedra eleita, Jesus foi escolhido pelo Pai para nos trazer salvação. Preciosa, porque é a base da edificação.

QUEM NELA CRÊ: a fé fundamentada no Senhor Jesus.

NÃO SERÁ CONFUNDIDO: discernimento do Espirito Santo para escolher Jesus e não outro fundamento.

 

2ª. MENSAGEM – JESUS VEIO PARA OS SEUS

“Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome”, – João 1:11-12

 

O QUE ERA SEU: o Senhor Jesus veio para aqueles que lhe perteciam. Salvação para um povo que lhe pertencia: Israel. Foram comprados pelo preço do Seu sangue.

NÃO O RECEBERAM: rejeição ao Senhor Jesus consiste num ato em que, mesmo o rejaitando, Jesus morreu também por eles.

A TODOS QUANTOS: uma salvação universal para todos os homens: a igreja.

SEREM FEITOS FILHOS DE DEUS: adoção pela graça embora não tivessem o direito.

AOS QUE CREEM NO SEU NOME: ao aceitar a Jesus e recebê-lo no coração, a rejeição agora é do mundo e do pecado. A Velha Aliança o rejeita, mas a Nova Aliança o recebe como salvador.

 

3ª. MENSAGEM – JESUS, A BASE DA NOSSA VITÓRIA

“Porém as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado, e o outro, do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs”. – Êxodo 17:12

DESENVOLVIMENTO DA MENSAGEM

Além do ensino de ministério e corpo também se extrai nesta passagem o ensino profético em relação à Pedra Principal de esquina.

Aquela pedra serviu de sustentação para a estrutura do corpo de Moisés, e permitiu-lhe apoiar suas mãos sobre Arão e Hur. Uma verdadeira figura de “corpo bem ajustado” tendo como fundamento a pedra sobre a qual Moises se assentou.

Esse fundamento capacitou as mãos de Moisés que lhe eram pesadas a permanecerem estendidas até que a batalha foi totalmente vencida.

As batalhas são sempre duras e difíceis quando dependemos apenas das mãos do homem, mas quando estamos firmados em Jesus, que é a pedra de esquina, temos todo o sustento necessário para vencermos nossas batalhas.

Sem aquela pedra não haveria vitória. Por isso toda a nossa vida está sustentada e as nossas vitórias estão garantidas em Jesus. Isso é feito pelo Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos.

 

4ª. MENSAGEM – JESUS, A PEDRA VIVA

“E, chegando-vos para ele – pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa” 1 Pedro 2:4.

 

PEDRA VIVA: O Senhor Jesus ressuscitado.

REPROVADA (REJEITADA) PELOS HOMENS: o homem na razão substitui Jesus por outro fundamento.

PARA COM DEUS: Na revelação do Pai, o Senhor Jesus é insubstituível.

ELEITA: Jesus, o escolhido do Pai para ser o nosso único salvador. Escolhemos o Senhor Jesus pela revelação do Espirito Santo.

PRECIOSA: o valor inestimável do Senhor Jesus, revelado pelo Espirito Santo.

 

5ª. MENSAGEM – JESUS, A PEDRA PROVADA

 “Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse.”  (Isaías 28:16)

 

Nessa passagem, Isaías destaca algumas características dessa pedra:

  • uma pedra já provada;

Jesus é a pedra já provada, pois veio ao mundo como homem, sofreu todas as nossas dores, foi tentado mas sem pecado. Nenhuma culpa ou pecado se achou Nele. Mesmo inocente Jesus se fez culpado em nosso lugar levando sobre si nossas culpas na cruz do Calvário.

Ele morreu, mas ressuscitou, vencendo a carne, o mundo, o pecado, a morte por amor às nossas vidas. Ele foi provado e aprovado, por isso pode ser nosso alicerce, pois conhece bem cada uma de nossas necessidades e tem poder para suprir cada uma delas.

 

  • pedra preciosa de esquina;

A preciosidade dessa pedra está no valor inestimável da salvação eterna no Senhor Jesus. Jesus é a pedra preciosa de esquina, pois é o nosso bem maior, a herança eterna, o grande tesouro da igreja que conhece um Jesus vivo e revelado.

O mundo hoje busca preencher o vazio da alma com bens materiais, prazeres terrenos, pois perdeu algo precioso: a salvação. Mas aquele que edifica sua vida sobre o Senhor Jesus apropria-se desse tesouro dos bens celestiais, advindos da salvação em Jesus.

Mas o servo de Deus encontrou a pérola de maior valor, o bem incorruptível: Jesus, que proporciona ao homem tudo o que ele necessita, vida eterna. O maior medo do homem é a morte e só Jesus pode proporcionar a ele a vitória sobre a morte: a vida eterna com Deus.

 

  • que está bem firme e fundada;

Jesus é a pedra bem firme porque Ele não muda. Tudo pode mudar, mas Jesus é o mesmo.

É a pedra bem fundada porque é capaz de sustentar o peso da grande edificação do templo espiritual da sua igreja fiel.

==================================================

 

Sugestões de Mensagem 20/04/2013

SUGESTÃO DE MENSAGEM:

 

1ª. MENSAGEM –

Isaías 22:20-22 – “20  E será, naquele dia, que chamarei a meu servo Eliaquim, filho de Hilquias. 21 E revesti-lo-ei da tua túnica, e esforçá-lo-ei com o teu talabarte, e entregarei nas suas mãos o teu domínio, e ele será como pai para os moradores de Jerusalém e para a casa de Judá. 22  E porei a chave da casa de Davi sobre o seu ombro, e abrirá, e ninguém fechará, e fechará, e ninguém abrirá”.

O texto acima fala profeticamente do Senhor Jesus. Uma palavra do Senhor dirigida ao profeta Isaías.

 

ELIAQUIM: DEUS ESTABELECE. Deus estabeleceu o seu projeto de salvação na pessoa do Seu filho Jesus.

 

HILQUIAS: O SENHOR É A MINHA PORÇÃO.

Jesus veio como o homem servo, para cumprir toda a vontade do Pai, conforme o pacto estabelecido com o Pai na eternidade.

 

A TÚNICA E O TALABARTE (bandeirola): revestimento do Senhor Jesus com as vestes do profeta. Força e santidade.

 

Nas suas mãos o domínio da profecia.

 

Sobre seus ombros (o peso da cruz – o sacrifício de Jesus)

porei a chave da Casa de Davi (o mistério, o novo e vivo caminho que foi aberto).

E abrirá e ninguém fechará: foi o Senhor Jesus quem nos abriu a porta da graça; ninguém pode impedir as operações do Espírito Santo, ninguém pode cessar a Obra que Senhor tem realizado na sua igreja;

 

E fechará e ninguém abrirá: a porta da graça se fechará com a volta do Senhor Jesus; não haverá segunda oportunidade para os crentes, ou coisa semelhante.

=======================================================

 

2ª. MENSAGEM – UM PROJETO COMPLETO DE SALVAÇÃO

 

Atos 2:39-41 – “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar. 40  E com muitas outras palavras isto testificava e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. 41  De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e, naquele dia, agregaram-se quase três mil almas”.

 

A PROMESSA (39):

aquilo que os povos “de todas as nações que estão debaixo do céu” ali ouviram das grandezas de Deus para a salvação.

 

E COM MUITAS PALAVRAS (40):

Pedro usa a chave da revelação entregue a todos sobre o cumprimento das palavras do profeta Joel.

QUASE TRÊS MIL ALMAS (41):

A chave usada por Pedro abriu a porta para a entrada no Reino dos Céus do numero daqueles que foram salvos.

 

========================================

 

3ª. MENSAGEM – A CHAVE DA PORTA FORMOSA

 

Atos 3:6 – “E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda”.

 

NÃO TENHO PRATA NEM OURO: recursos que eram oferecidos ao coxo para entrar no templo pela Porta Formosa.

 

MAS O QUE TENHO: Pedro possuía uma das chaves que o Senhor havia dito que lhe daria. Temos a revelação, o segredo, porque foi-nos dado pelo Pai que está nos céus.

 

ISSO E DOU: assim como recebemos de graça a revelação (a chave) que dá às pessoas o acesso à presença do Senhor, não podemos reter para nós somente. Revelação é para ser entregue como uma chave para abrir a porta que é Jesus, para que o pecador entre por ela.

 

O NOME DE JESUS, O NAZARENO: ele é a verdadeira “porta formosa”, pois é por Ele que o homem se levanta, anda e pode adentrar à presença do Pai.

 

 

 

 

Estudo Bíblico para Jovens e Obreiros 13/04/2013 (Sugestões de Mensagens)

ATIVIDADE PARA JOVENS E OBREIROS – 13/abr/13

            – ASSUNTO: A CONFISSÃO DE PEDRO

            – TEXTO FUNDAMENTAL: MATEUS 16:15-18

 

ATIVIDADE:

IDENTIFICAR O SENTIDO PROFÉTICO DA METÁFORA UTILIZADA PELO SENHOR JESUS, EM MATEUS 16:15-18, QUANDO SE REFERE À PALAVRA “PEDRA”.

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

 

SIGNIFICADO DE:

METÁFORA: é uma figura de linguagem, quando um sentido figurativo é dado a uma palavra.

PEDRO = PETROS (pedra): (palavra proveniente do grego que significa: FRAGMENTO DE ROCHA)

PEDRA = PETRA (palavra proveniente do grego que significa: ROCHA)

 

INTRODUÇÃO

OPINIÃO X REVELAÇÃO

Opinião é humana, mas Revelação é aquilo que o Espírito Santo informa.

O Senhor Jesus queria saber inicialmente qual o pensamento das pessoas de fora sobre Ele. Uns diziam que Ele era João Batista, outros que Ele era Elias, e outros Jeremias ou um dos profetas. As pessoas que fazem essas comparações com o Senhor Jesus a sua opinião sobre Jesus é baseada na sua capacidade natural de observação, no seu intelecto e na sua razão, isto é, conhecem Jesus na letra. Têm Jesus só para esta vida aqui, pois os profetas foram homens que nasceram nesta vida aqui e terminaram aqui sua vida terrena. É um conhecimento de Jesus apenas humano e, portanto, limitado.

A grande preocupação do Senhor era saber a opinião dos seus discipulos: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Pedro via Jesus como O FILHO DO DEUS VIVO, pois quem vê a Jesus pela revelação não o vê como morto, mas como aquele que é filho do Deus que dá vida e portanto Ele tem a vida. Pedro falava de Jesus para a vida eterna.

A confissão de Pedro foi uma revelação do Pai celestial.

 

I – ATIVIDADE:

IDENTIFICAR O SENTIDO PROFÉTICO DA METÁFORA UTILIZADA PELO SENHOR JESUS, EM MATEUS 16:15-18, QUANDO SE REFERE À PALAVRA “PEDRA”.

 

CARNE E SANGUE: opinião religiosa, histórica, uma herança humana, tradicional. “Não foi a carne” (a razão), “nem o sangue” (a tradição), “mas meu Pai que está nos céus” (a revelação do Espírito Santo). A carne e o sangue não herdarão o reino de Deus, porque são coisas da razão. Mas Pedro não, ele teve foi uma revelação.

A resposta de Pedro não foi baseada na sua razão, e sim na revelação. Pedro expressou aquilo que o Espírito Santo lhe revelou.

 

A BEMAVENTURANÇA: ”Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue (razão), que te revelou isto, mas meu Pai, que está nos céus”. A bem-aventurança de Pedro foi porque ele teve uma revelação de Jesus como Deus vivo.

O que Pedro teve foi uma revelação do Espírito Santo. É o mesmo que o Espírito Santo revelou para que a igreja tivesse seu curso neste mundo, iniciando sua missão com um conhecimento de Jesus que não era uma simples opinião, mas uma revelação do Espírito Santo. Essa seria a bem aventurança da igreja fiel de Jesus, conhece-lo através da revelação vinda do Pai Celestial, através do Espírito Santo.

 

O CONHECIMENTO DE JESUS: RAZÃO X REVELAÇÃO.

Opinião é coisa teórica, subjetiva, racional, pois assim foi a comparação de Jesus com Elias, Jeremias, ou algum dos profetas. Opinião sobre o Senhor Jesus todo bom cristão tem, mas revelação sobre o Senhor Jesus somente aquele que tem o conhecimento dEle através da revelação do Espírito Santo.

Aquele que não tem o conhecimento de Jesus vindo do Pai Celestial vive de história, mas a igreja fiel de Jesus vive de revelação.

Dizer que Jesus está vivo não é uma leitura de um manual religioso, um dogma, um credo ou uma mera confissão de fé, mas dizer que Jesus está vivo é a evidência disso na vida do servo.

Evidências: salvação, Batismo com o Espírito Santo, dons espirituais. “Fui batizado com o Espirito Santo, então Jesus está vivo na minha vida”.

 

O que o Senhor Jesus tem para aquele que O conhece através da revelação do Espirito Santo?

1.         A bem aventurança em receber a usar a revelaçao. (verso 17).

2.         Promessa de edificação espiritual sobre a revelação (verso 18)

 

PEDRA – uma metáfora usada para se referir a Pedro.

A IGREJA ESTÁ EDIFICADA SOBRE PEDRO? “…Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja…” Mt 16:18

No original (grego) quando o Senhor Jesus fala: “Tu és Pedro” Ele usa a palavra PETROS que significa pedaço ou fragmento de rocha. E na continuação quando Jesus diz: “e sobre esta Pedra”. “Tu és Pedro”, ou seja, um fragmento, um pedaço, um componente da rocha. Aquele que entrega a revelação é parte integrante e não isolada da Rocha.

Agora Ele usa a palavra PETRA que significa Rocha (o todo, pedra maciça).

A qual rocha (Petra) o Senhor Jesus estava se referindo? Ele se refere à declaração de Pedro feita um pouco antes: “… Tu és o Cristo, o filho do Deus Vivo” (Mt 16:16)

(USAR AQUI O QUADRO (SU EI PETROS…)

A Igreja fiel nunca foi edificada sobre Pedro, mas sobre a Rocha Eterna, o Senhor Jesus, o Filho do Deus Vivo, ou seja, sobre a Revelação de Jesus vivo. A Obra de Deus é feita na revelação do Espírito Santo. A confissão de Pedro foi Jesus, a Rocha sobre a qual a igreja fiel é edificada. Não se trata de uma confissão de fé num credo apostólico, mas uma fé viva num Jesus vivo.

“Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo”. – 1 Coríntios 3:11

 

O QUE JESUS QUIS ENSINAR QUANDO DISSE A PEDRO “TU ÉS PEDRO (PETROS)”:

A rocha é o Senhor Jesus, mas para que a Igreja pudesse ser iniciada o Senhor iria contar com homens na condição de componentes da rocha. A palavra de Pedro ali na entrega daquela revelação, representava aquilo que os demais apóstolos iriam testemunhar sobre o Senhor Jesus. A verdadeira “pedra” que os apóstolos iriam basear a doutrina para a igreja seria exatamente o Senhor Jesus, o Cristo, o Filho do Deus vivo. O verdadeiro componente da Rocha é aquele que reconhece que seu lugar não é de fundamento ou fundador, mas que esse lugar é do Senhor Jesus.

O próprio Pedro em Atos 4:11-12, vai afirmar mais tarde para a igreja que ele é simplesmente o PETROS e que a PETRA é Jesus.

Ats 4:11  Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.

Ats 4:12  E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

 

AREIA – Fragmento de Rocha

Se alguém edifica sua vida espiritual sobre Pedro (Petros) está edificando sobre areia (fragmento de Rocha, de Pedra). Vem o vento, a chuva e enxurrada e provocam a queda da edificação.

 

II – TAREFA PARA JOVENS E OBREIROS DURANTE A REUNIÃO

Textos no VELHO TESTAMENTO que falavam profeticamente sobre Jesus como a Rocha:

SALMOS: 18:2

– “O SENHOR é o meu rochedo, (…)”.

DEUTERONOMIO 32:4

– “Ele é a Rocha cuja obra é perfeita, (…)”.

ISAIAS 28:16 – “Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; (…)”.

NÚMEROS 20:11 – SALMO 19:14 – 28:1 – 89:26 – 95:1 – 114:1

 

Textos no NOVO TESTAMENTO que falavam profeticamente sobre Jesus como a Rocha:

I PEDRO:2:6

– “Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido”.

EFÉSIOS 2:20-22

– “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; (…).

I CORINTIOS 10:4

– “(…) porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo”.

MATEUS 21:42 – ATOS 4:11 – ROM. 9:33 – EFESIOS 11:22, 5:3 – I PEDRO 2:4

 

III – SUGESTÃO DE MENSAGEM:

 

1ª. MENSAGEM

Isaías 32:2 – “E será aquele varão (…) como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta”.

Profecia de Isaías sobre o Senhor Jesus, como aquele que nos sustenta na caminhada.

 

A SOMBRA DE UMA GRANDE ROCHA: oferece ao viajante do deserto mais sustento para caminhadas mais longas, e mais resistência à sede.

AQUELE VARÃO (O SENHOR JESUS): oferece ao servo na sua caminhada neste mundo o sustento para a longa caminhada rumo à eternidade e dessedenta sua sede da alma durante toda a caminhada.

 

2ª. MENSAGEM

1 Pedro:2:4-5

“E, chegando-vos para ele, a pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo”.

 

PEDRA VIVA:

O Senhor Jesus vivo, a Rocha.

Reprovado (rejeitado) pelos homens, mas eleito (escolhido) por Deus. O Cristo.

 

PEDRAS VIVAS:

A igreja fiel, os componentes (as partes) da Rocha. Somos parte do grande edifício espiritual que é a igreja.

Rejeitada pelo mundo, mas eleita por Deus e preciosa aos olhos dEle.

 

CASA ESPIRITUAL: lugar onde o Espirito Santo habita que é o coração do servo guiado pelo Espirito Santo.

 

SACRIFICIOS ESPIRITUAIS: culto espiritual agradável a Deus, porque é feito em nome Jesus e na direção do Espirito Santo.

 

3ª. MENSAGEM

Genesis 28:11 – JACÓ DESCANSA SOBRE A PEDRA.

“E chegou a um lugar onde passou a noite, porque já o sol era posto; e tomou uma das pedras daquele lugar, e a pôs por sua cabeceira, e deitou-se naquele lugar.”.

 

A ÚNICA PEDRA – O Senhor Jesus

NOITE – momento de trevas

PASSOU A NOITE: Nos momentos de difíceis o servo tem a presença do Senhor para descansar sabendo que a benção da salvação está no Senhor.

TOMOU UMA DAS PEDRAS: no meio de tantas pedras Jacó fez a escolha por uma somente. Jesus vivo é a Rocha que nos oferece descanso à Sua sombra.

 


Clique e ouça a Rádio Maanaim

Calendário

novembro 2019
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Usuários Online

Users: 35 Guests, 9 Bots