Get Adobe Flash player

Escola Bíblica Dominical

RESPOSTAS DAS PERGUNTAS DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DO DIA 27-12-2015

Ocorreu no domingo 27-12-2015, a escola bíblica dominical ao vivo, diretamente dos estúdios no maanaim de jaburuna ES, onde foram respondidas 8 perguntas, deixadas no domingo 20-12-2015, para que as igrejas trabalhassem durante a semana.

Seguem as perguntas já respondidas para os pastores e responsáveis que por algum motivo não receberam a transmissão possam trabalhar o assunto nas igrejas.

1- DOS CONSELHOS EXPOSTOS POR JESUS NO CAP. 7 DE MATEUS, QUAL SERIA O DE MAIOR PROVEITO PARA A SUA VIDA? CITE O TEXTO.

RESPOSTA:

TODO QUE FAZ A VONTADE DO PAI VS. 21.

OS QUE ESCUTAM VS. 24

O HOMEM PRUDENTE QUE EDIFICA SUA CASA SOBRE A ROCHA VS 24

ORAÇÃO PEDEM VS 8

BUSCAM VS 8

BATEM VS 8

 

2 – NA TERCEIRA E QUARTA ADVERTÊNCIA, QUAIS OS CUIDADOS QUE O CRENTE DEVE TER?

3º) NÃO DEIS AOS CÃES AS COISAS SANTAS VS. 6

4º) NÃO DEITEIS AOS PORCOS AS VOSSAS PÉROLAS VS. 6

 

3 – QUAIS OS BENEFÍCIOS DOS QUE OUVEM E OBEDECEM A PALAVRA DO SENHOR JESUS?

RESPOSTA:

RESISTEM AOS ATAQUES , CHUVAS , RIOS E VENTOS.

A CASA ESPIRITUAL NÃO IRÁ CAIR. VS 24

 

4 – QUEM PODERÁ ENTRAR NO REINO E COMO SÃO CLASSIFICADOS POR JESUS. CITAR VERSO BÍBLICO.

RESPOSTAS: MATEUS 7.24

  • TODO AQUELE QUE FAZ A VONTADE DO PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS.
  • OS QUE OUVEM E PRATICAM O HOMEM PRUDENTE
  • O QUE EDIFICA A CASA SOBRE A ROCHA – VS 24

 

5 – QUAIS SÃO AQUELES QUE NÃO VÃO ENTRAR NO REINO. CITAR ALGUMAS REFERÊNCIAS FEITAS POR JESUS NO TEXTO DE MATEUS 7.

OS JULGADORES VS. 1

OS HIPÓCRITAS VS. 5

OS PORCOS VS. 6

OS CÃES VS. 6

OS QUE NÃO ACEITAM O CONSELHO VS 26

INSENSATOS VS 26

CONSTROEM A SUA CASA NA AREIA VS 26

NÃO ESCUTAM – OUVE E NÃO PRATICAM VS 26

 

6 – COMO EXPLICAR A SITUAÇÃO DE ALGUNS QUE, APESAR DE PARECER FIÉIS, FORAM REPROVADOS POR JESUS NOS TEXTOS:

  1. MT. 7:21-22.

NEM TODO O QUE ME DIZ : SENHOR, SENHOR! ENTRARÁ NO REINOS DOS CÉUS, MAS AQUELE QUE FAZ A VONTADE DE MEU PAI, QUE ESTÁ NOS CÉUS.

MUITOS ME DIRÃO NAQUELE DIA, SENHOR, SENHOR, NÃO PROFETIZAMOS NÓS EM TEU NOME? E EM TEU NOME NÃO EXPULSAMOS DEMÓNIOS? E EM TEU NOME NÃO FIZEMOS MUITAS MARAVILHAS?

 

 

7 – PORQUE AS EVIDÊNCIAS ESPIRITUAIS NO VERSO 22 NÃO SERÃO ACEITAS POR JESUS?

RESPOSTA:

OS JULGADORES VS. 1

OS HIPÓCRITAS VS. 5

OS PORCOS VS. 6

OS CÃES VS.6

OS QUE NÃO DÃO BONS FRUTOS

OS QUE NÃO ACEITAM O CONSELHO

NÃO ESCUTAM

INSENSATOS

CONSTROEM A SUA CASA NA AREIA

 

 

8 – QUAL O SIGNIFICADO DOUTRINÁRIO DA AREIA NA CONSTRUÇÃO DA CASA?

RESPOSTA:

DOUTRINA FRAGMENTADA, HUMANA

 

OBS: É DE SUMA IMPORTÂNCIA, QUE OS PASTORES E RESPONSÁVEIS ENVOLVAM A IGREJA NO TRABALHO DE ESTUDOS DA PALAVRA.

 “E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração.” Atos 2.46

 

RESPOSTAS DAS PERGUNTAS DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DO DIA 20-12-2015

  1. QUAL A ÊNFASE MAIOR, ALÉM DAS JÁ MENCIONADAS COMO ADVERTÊNCIA À IGREJA QUANTO AO PREPARO E SURPRESA PARA O ARREBATAMENTO? CITE DOIS TEXTOS QUE FALAM DE SURPRESA E VIGILÂNCIA:

1.SURPRESA:

LUCAS 12:39 – “SABEI, PORÉM, ISTO: QUE, SE O PAI DE FAMÍLIA SOUBESSE A QUE HORA HAVIA DE VIR O LADRÃO, VIGIARIA, E NÃO DEIXARIA MINAR A SUA CASA.”

LUCAS 12:40 – “PORTANTO, ESTAI VÓS TAMBÉM APERCEBIDOS; PORQUE VIRÁ O FILHO DO HOMEM À HORA QUE NÃO IMAGINAIS.”

MATEUS 24: 50 – “VIRÁ O SENHOR DAQUELE SERVO

NUM DIA EM QUE O NÃO ESPERA, E À HORA

EM QUE ELE NÃO SABE,

  1. VIGILÂNCIA:

LUCAS 12:37 – “BEM-AVENTURADOS AQUELES SERVOS, OS QUAIS, QUANDO O SENHOR VIER, ACHAR VIGIANDO! EM VERDADE VOS DIGO QUE SE CINGIRÁ, E OS FARÁ ASSENTAR À MESA E, CHEGANDO-SE, OS SERVIRÁ.”

MATEUS 24:44 – POR ISSO, ESTAI VÓS APERCEBIDOS TAMBÉM; PORQUE O FILHO DO HOMEM HÁ

DE VIR À HORA EM QUE NÃO PENSEIS.

_____________________________________________________________________________________________________________

2 – CITE OS PERIGOS DE NÃO OBSERVAR NOS VERSOS MENCIONADOS AS ADVERTÊNCIAS DO SENHOR JESUS.             

MATEUS 24: 48 – “MAS SE AQUELE MAU SERVO DISSER NO SEU CORAÇÃO: O MEU SENHOR TARDE VIRÁ;”

LUCAS 12: 45 – “MAS, SE AQUELE SERVO DISSER EM SEU CORAÇÃO: O MEU SENHOR TARDA EM VIR; E COMEÇAR A ESPANCAR OS CRIADOS E CRIADAS, E A COMER, E A BEBER, E A EMBRIAGAR-SE,”

____________________________________________________________________________________________________________

 

3 – QUANTOS CONSELHOS DOUTRINÁRIOS PODEMOS ENUMERAR NO CAPÍTULO 7 DO EVANGELHO DE MATEUS?

RESPOSTA:

SÃO 11 OS CONSELHOS E ADVERTÊNCIAS DIRIGIDAS PROFETICAMENTE AO CRENTE.

____________________________________________________________________________________________________________

– É POSSÍVEL IDENTIFICAR CADA CONSELHO CITANDO O VERSÍCULO BÍBLICO DO TEXTO?

1º) NÃO JULGUEIS VS. 1

2º) TIRA PRIMEIRO A TRAVE DO TEU OLHO VS. 5

3º) NÃO DEIS AOS CÃES AS COISAS SANTAS VS. 6

4º) NÃO DEITEIS AOS PORCOS AS VOSSAS PÉROLAS VS. 6

5º) PEDI Vs. 7

6º) BUSCAI Vs. 7

7º) BATEI Vs. 7

8º) FAZEI AOS HOMENS O QUE QUEREIS QUE VOS FAÇA Vs. 12

9º) ENTRAI PELA PORTA ESTREITA VS. 13 – 15

10º) ACAUTELAI-VOS Vs. 15

11º) EDIFICAR A CASA SOBRE A ROCHA Vs. 24

PERGUNTAS DA ESCOLA BÍBLICA DOMNINICAL – 13-12-1025

  1. QUAL É O TEMA PRINCIPAL ABORDADO NOS TEXTOS ACIMA MENCIONADOS?

RESPOSTA: BODAS

A VINDA DO SENHOR JESUS (ARREBATAMENTO DA IGREJA).

MATEUS 24:46 – “BEM-AVENTURADO AQUELE SERVO QUE O SEU SENHOR, QUANDO VIER, ACHAR SERVINDO ASSIM.”

LUCAS 12:43 – “BEM-AVENTURADO AQUELE SERVO A QUEM O SEU SENHOR, QUANDO VIER, ACHAR SERVINDO ASSIM.”

 

____________________________________________________________

 

  1. COMO É REQUERIDA A FIDELIDADE DO SERVO NOS TEXTOS QUE FALAM DO SERVIÇO?

RESPOSTA:

MATEUS 24:46 – “BEM-AVENTURADO AQUELE SERVO QUE O SEU SENHOR, QUANDO VIER, ACHAR SERVINDO ASSIM.”

LUCAS 12:43 – “BEM-AVENTURADO AQUELE SERVO A QUEM O SEU SENHOR, QUANDO VIER, ACHAR FAZENDO ASSIM.”

 

 

____________________________________________________________

 

  1. QUAL É A PALAVRA COMUM NOS TEXTOS QUE IDENTIFICA O FIEL?

RESPOSTA:

MATEUS 24:45 – “QUEM É, POIS, O SERVO FIEL E PRUDENTE, QUE O SEU SENHOR CONSTITUIU SOBRE A SUA CASA, PARA DAR O SUSTENTO A SEU TEMPO?”

LUCAS 12:42 – “E DISSE O SENHOR: QUAL É, POIS, O MORDOMO FIEL E PRUDENTE, A QUEM O SENHOR PÔS SOBRE OS SEUS SERVOS, PARA LHES DAR A TEMPO A RAÇÃO?”

 

 

_____________________________________________________________

  1. QUAL A PALAVRA DE APRECIAÇÃO DE JESUS AO SERVO FIEL E PRUDENTE?

MATEUS 24:46 – “BEM-AVENTURADO AQUELE SERVO QUE O SEU SENHOR, QUANDO VIER, ACHAR SERVINDO ASSIM.”

LUCAS 12:43 – “BEM-AVENTURADO AQUELE SERVO A QUEM O SEU SENHOR, QUANDO VIER, ACHAR FAZENDO ASSIM.”

 

__________________________________________________________

 

  1. QUAL SERIA, OU QUAL A ÊNFASE MAIOR ALÉM DAS JÁ MENCIONADAS COMO ADVERTÊNCIA AO PREPARO E SURPRESA? CITE DOIS TEXTOS QUE FALAM DE PALAVRAS.

SURPRESA:

LUCAS 12:39 – “SABEI, PORÉM, ISTO: QUE, SE O PAI DE FAMÍLIA SOUBESSE A QUE HORA HAVIA DE VIR O LADRÃO, VIGIARIA, E NÃO DEIXARIA MINAR A SUA CASA.”

LUCAS 12:40 – “PORTANTO, ESTAI VÓS TAMBÉM APERCEBIDOS; PORQUE VIRÁ O FILHO DO HOMEM À HORA QUE NÃO IMAGINAIS.”

MATEUS 24: 50 – “VIRÁ O SENHOR DAQUELE SERVO NUM DIA EM QUE O NÃO ESPERA, E À HORA EM QUE ELE NÃO SABE,”

 

VIGILÂNCIA:

LUCAS 12:37 – “BEM-AVENTURADOS AQUELES SERVOS, OS QUAIS, QUANDO O SENHOR VIER, ACHAR VIGIANDO! EM VERDADE VOS DIGO QUE SE CINGIRÁ, E OS FARÁ ASSENTAR À MESA E, CHEGANDO-SE, OS SERVIRÁ.”

MATEUS 24:44 – POR ISSO, ESTAI VÓS APERCEBIDOS TAMBÉM; PORQUE O FILHO DO HOMEM HÁ DE VIR À HORA EM QUE NÃO PENSEIS.

 

________________________________________________________

  1. CITE OS PERIGOS DE NÃO OBSERVAR NOS VERSOS MENCIONADOS AS ADVERTÊNCIAS DO SENHOR JESUS E A PIOR DESCULPA

MATEUS 24: 48 – “MAS SE AQUELE MAU SERVO DISSER NO SEU CORAÇÃO: O MEU SENHOR TARDE VIRÁ;”

LUCAS 12: 45 – “MAS, SE AQUELE SERVO DISSER EM SEU CORAÇÃO: O MEU SENHOR TARDA EM VIR; E COMEÇAR A ESPANCAR OS CRIADOS E CRIADAS, E A COMER, E A BEBER, E A EMBRIAGAR-SE,”

 

_______________________________________________________

 

 

 

ESTUDOS BÍBLICOS PARA ESCOLA DOMINICAL 13-09-2015

SALVAÇÃO

“E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” Mt 7:14

Salvação é um caminho estreito e apertado, conduzido por Jesus através da fé para vida eterna.

_____________________________________________

PREDESTINAÇÃO E LIVRE ARBÍTRIO 

No processo de salvação intervém a Trindade através da Obra Redentora que é profética.

“Eleitos segundo presciência de Deus pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas.” I Pe 1:2

-Eleição – Pai

-Chamado – Filho

-Santificação – Espírito Santo

A predestinação está no ato da eleição e do chamado.

No processo, está o livre arbítrio(em santificação).

A razão se subordina à revelação no chamado para andar no caminho.

A partir do encontro com Jesus o Espírito Santo conduz o homem no caminho da fé que se fortalece na graça de Jesus.

-Através do Espírito Santo: Ef 3:16-17

-Acesso pela fé a graça: Rm 5:2

______________________________________________

FÉ ATRAVÉS DO ESPÍRITO SANTO

“Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder  pelo seu Espírito Santo no homem interior; para que Cristo habite, pela fé, no vosso coração; a fim de, estando arraigados e fundado em amor.” Ef 3:16-17

______________________________________________

ACESSO À GRAÇA PELA FÉ

“Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.” Rm 5:2

______________________________________________

SEGREDOS

-Por que a fé é profética?

“Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.” 1Co 2:5

-Para que serve a fé?

Para vencer o mundo:

“Porque todo que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” 1Jo 5:4

-Para que serve a fé?

A fé que nos justifica – Justificados pela fé:
“Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo” Rm 5:1

______________________________________________

FÉ NO SANGUE

“Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos*, sob a paciência de Deus” Rm 3:25

*-Período entre a eleição e o chamado. 

“Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.” Rm 5:9

______________________________________________

FÉ DA VERDADE

“Mas devemos sempre dar graças a Deus, por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito e fé da verdade;” II Ts 2:13

______________________________________________

JESUS – AUTOR E CONSUMADOR DA FÉ 

“Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.” Hb 12:2

______________________________________________

TEXTOS A SEREM TRABALHADOS PELA IGREJA 

Fé e perversão:  II Tm 2:18

A lei não é da fé:   Gl 3:12

Rudimentos:  Cl 2:22

Falsos conceitos:

  • Epicureus – Cl 2:15-23
  • Estóicos – Cl 2:8

Fábulas (gnósticos):

  • Tt 3:9
  • I Co 8:1
  • I Tm

 

Aviso

 

A AULA DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL  DESTE DOMINGO, 28 DE SETEMBRO SERÁ RETRANSMITIDA NESTA TERÇA-FEIRA, DIA 30 DE SETEMBRO, ÀS 20:10. HAVERÁ RETRANSMISSÃO.

INFORMAMOS  QUE A PRÓXIMA TRANSMISSÃO DOS ESTUDOS BÍBLICOS DA SEMANA SERÁ NO  DIA 06 DE OUTUBRO DE 2014.

-A DOUTRINA DO LOUVOR NA PALAVRA DE DEUS

 

  1. A EXPRESSÃO DE LOUVOR DA IGREJA FIEL

– o louvor que emoldura a doutrina

– o louvor como resultado do clamor

– o louvor revelado ou profético

– o louvor que canta a palavra

========================================================

 

O LOUVOR DA IGREJA FIEL – APOCALIPSE 15:3-4

3-“E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor, Deus Todo-poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos”! 4-“Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso, todas as nações virão e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos”.

 

INTRODUÇÃO

A expressão de louvor da Igreja Fiel está envolvida em dois aspectos:

1º)É sentir o amor de Deus em sua vida.

2º)É manifestar a dimensão deste amor na forma de gratidão a Deus.

 

Em resumo, o louvor da igreja fiel expressa a grandiosidade do amor de Deus e a gratidão por este amor na vida da igreja.

Encontramos em toda a palavra de  Deus louvores que o SENHOR  revelou aos seus servos  em momentos de grandes lutas, mas que terminaram com grandes vitórias e com cânticos de louvores ao nosso DEUS.

(um assunto que será abordado para as Crianças em março-14)

 

I – A origem do louvor

O verdadeiro louvor a Deus tem a sua origem na eternidade e é importante nós entendermos que o louvor cantado pela Igreja Fiel é operado na eternidade.

Quando Deus cria todas as coisas, a primeira expressão da criação é No Princípio criou Deus, que no original hebraico é BereshitBarahElohim.

Desta palavra bereshit(no principio) originam-se várias outras e, entre elas está a palavra shirtaev, que quer dizer, O Senhor anelava um louvor.

Quando Deus cria todas as coisas, Ele as cria para um cântico de adoração ao seu nome, Ele as cria para uma glorificação ao seu nome, para que o homem pudesse expressar todo o louvor e toda a adoração a Ele, por tudo aquilo que Ele fez.  Deus instituiu, na criação, um louvor perene ao seu nome.

Enfim, a obra criadora é um cântico de louvor entoado por Deus.

A origem do louvor é na eternidade, para ser cantado aqui por aqueles que vivem a realidade do Reino e a esperança e da fé.

O louvor é fundamental na vida da Igreja Fiel, e ele não se expressa de qualquer maneira, porque nós sabemos que ele é originário da eternidade, ele estava na eternidade, e foi transferido para a obra da criação.

 

I.1 – COMO É ENTOADO O LOUVOR NA ETERNIDADE

 

O LOUVOR DOS 24 anciãos

O capítulo 4:4, 9,10 descreve toda a glória do trono de Deus, e menciona que ao redor do trono estavam vinte e quatro tronos e neles vinte e quatro anciãos vestidos de vestidos brancos; e tinham sobre suas cabeças coroas de ouro. (Ap. 4:4)

Esses vinte e quatro anciãos são:

1. Os 12 patriarcas de Israel, filhos de Jacó, através dos quais Deus cumpriu a promessa feita a Abraão, de fazer dele uma grande nação. Portanto eles falam de Israel.

2. Os outros 12 são os apóstolos. Estes falam da Igreja.

Os dois grupos fazem parte do projeto de Deus para a salvação. São um só povo, escolhido, separado, chamado.

Portanto ali estão Israel e a Igreja, um só povo diante do Trono de Deus, rendendo ao Pai, dia e noite, sem descanso, a sua adoração: “Santo, santo, santo é o Senhor Deus, o Todo Poderoso, que era, que é, e que há de vir”. Ap. 4:8 a 11.

 

O LOUVOR DA OBRA CRIADORA

João viu ainda (Apoc.5) na destra do trono um livro, e se procurava quem seria digno de abri-lo e desatar-lhe os selos. Somente um foi achado e era ele o Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro e desatar os selos.

Então ele veio, e tomou o livro; e os quatro animais e os vinte quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso em suas mãos, que são as orações dos santos.

“E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; (…). Ap5:9,11,12,13. Eram eles muitos anjos ao redor do trono, e dos animais; e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares.

Aí está o louvor entoado na eternidade cantado por “toda a criatura que está no céu e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e todas as coisas que neles há,ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, a eles sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo sempre”. Ap. 5:13.

Este é o louvor eterno que ultrapassa o nosso entendimento, em honra ao Pai e ao Cordeiro que venceu a morte, para nos assegurar vida. A ele rendemos também nós, seus servos, a nossa adoração.

Os textos mencionados acima narram ahonra, glória, ações de graça, louvor e adoração rendidas ao Pai e ao Cordeiro que foi morto e está vivo.

 

II – O LOUVOR DA IGREJA FIEL CONFORME O VELHO TESTAMENTO

 

– O CÂNTICO NOVO

Os cânticos na Bíblia sempre foram o resultado dos atos de justiça de Deus em favor do Seu povo ou de Seus servos:

Exemplo do Salmo 98:1 – “Cantai ao SENHOR um cântico novo, porque ele fez maravilhas; a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a vitória”.

Inúmeros cânticos foram entoados pelos servos de Deus e pelo Seu povo, expressando sempre os favores recebidos do Senhor. O cântico novo expressado por Davi em alguns de seus salmos revela que Deus sempre realizava algo novo na vida de seus servos ou de seu povo pelo qual eles manifestavam sua gratidão a Deus.

 

UM EXEMPLO DESSE LOUVOR NO VELHO TESTAMENTO:

 

– O CÂNTICO DE MOISÉS – TEXTO DE: ÊXODO 15:1-2

“1 Então, cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR; e falaram, dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque sumamente se exaltou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. 2 O SENHOR é a minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto, lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai; por isso, o exaltarei”.

 

COMENTÁRIO – Logo após a travessia do mar vermelho Israel viu a grande mão do Senhor operando maravilhosamente a seu favor. Então o Senhor revelou este cântico a Moisés. O louvor emoldura as grandes vitórias do Senhor neste caso do mar vermelho Israel cantou  ás margens do mar vermelho a grande vitória do Senhor quando todo o exército de Faraó foi derrotado.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA: Os servos do Senhor expressam no louvor  a grande vitória do Senhor que é a vitória sobre a  escravidão do pecado e a morte da condenação eterna.

Lá na eternidade João  viu os servos vencedores que entoavam o cântico de Moises juntamente com o cântico do Cordeiro. Ali está a figura de Israel e a igreja juntos na eternidade.

Hoje nós como servos do Senhor diante das grandes vitórias que alcançamos na presença do Senhor, cantamos louvores e lá na eternidade o nosso louvor continuará, pois o Senhor  é a nossa força e o nosso cântico; ele nos foi por salvação.

 

A ADORAÇÃO MOVIDA PELO ESPÍRITO SANTO – a brasa viva do altar.

 

O INCENSÁRIO NO TABERNÁCULO.

Deus ordenou a construção de um santuário para ali habitar no meio do povo (Ex 25:8). Ao entrar no átrio do tabernáculo o israelita se deparava com um altar feito de bronze, onde a expiação do pecado era feita.

Era-lhe impossível aproximar de Deus, quer fosse para oferecer incenso, ou ter qualquer contato com Deus, sem passar pelo altar do holocausto. Ali o Israelita via-se tal qual era: imundo, pecador, necessitado de perdão através da expiação.

Os braseiros, ou incensários, eram necessários para receber a brasa acesa, que era tirada desse altar e levada para o lugar Santo ou Santíssimo. Todo o fogo teria que sair desse altar. Qualquer fogo que não fosse desse altar não seria aceito por Deus e era tido como FOGO ESTRANHO.

Nadabe e Abiú puseram em seus incensários (braseiros) brasas que não foram tiradas desse altar e foram sentenciados por Deus. Deus não aceita adoração que não seja movida pelo Espírito Santo, a brasa viva, que queima o profundo do ser.

Foi o Espírito Santodeixado pelo Senhor Jesus para manter acesa a vida espiritual capaz de produzir a adoração que o Pai aceita e que o Filho recebe.Fogo do espírito e não da carne.

O Espírito Santo que habita em nós é a brasa viva que queima toda a iniquidade. A sua presença em nosso coração é mantida quando, através do nosso louvor, confessamos que nada somos e que toda a glória pertence ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

 

III–o Conteúdo do louvor

O conteúdo abrange trêselementos: o poético, o profético e o doutrinário.

 

Conteúdo Poético–  Não é preciso ser crente e nem crer em Deus para produzir uma poesia porque existem muitas coisas na obra criadora que sensibilizam o homem, quando ele vê os rios, os campos, os pássaros, o sol, as estrelas, a lua, toda a natureza.

Davi se identificava com esta obra da criação, sendo que ele transportava tudo para o objeto da redenção. Era o poeta da redenção porque transformava todo o objetivo da criação na obra redentora. Davi sempre via a obra redentora, ele sempre estava vendo além daquilo que uma poesia simples pode expressar, porque ele escrevia baseado nos anseios da alma do homem.“O Senhor é o meu pastor, nada me faltará”.

 

Conteúdo Profético– O conteúdo do louvor da Igreja Fiel pode ser poético, mas ele também tem que ser profético. Fala da Vitória da igreja. Louvor das Crianças: “O sol da justiça nascerá…”

O conteúdo poético inspira o poeta e o conteúdo profético antecipa a posse do Reino.

Para agradar a Deus, o louvor tem que ser profético, isso é fundamental, porque é a antecipação da posse do Reino, é a vitória da Igreja Fiel.

 

Conteúdo Doutrinário – Esse louvor é doutrinário porque ele tem que falar essencialmente daquilo que é o fundamento da doutrina, que é a salvação.

 

O LOUVOR ESTÁ SEMPRE LIGADO À SALVAÇÃO DO HOMEM.

            “Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.” Heb13:15.

O louvor é gerado no nosso coração, no nosso interior, como fruto de uma alma remida, porque o Senhor Jesus deixou o esplendor de sua glória, para se submeter ao projeto do Pai, e vencer a morte por nós dando-nos o direito à vida e o de estarmos com ele na eternidade.

O louvor é fruto de um coração arrependido eda gratidão por promessas cumpridas, é, enfim, fruto de vitórias, que só o Senhor nos pode assegurar.

Por isso só os salvos louvam verdadeiramente ao Senhor.

 

IV– Inspiração do louvor.

A inspiração tem que ter dois elementos fundamentais: A Palavra e o seu Autor.

 

1. Inspiração da Palavra – O louvor não pode contrariar a Palavra. Ao contrário o louvor canta a Palavra.E não é a letra cantada, mas a revelação.

Exemplo: “Jerusalém, cidade Santa do Senhor” – não é literal, pois não se trata de Jerusalém terrena, mas a celestial, a eterna, ou seja, eternidade.

O louvor tem que conter somente aquilo que seja glorificação ao nome do Senhor Jesus, pois Ele está realizando a sua obra no louvor da Igreja Fiel.

 

O louvor emoldura a Palavra. – O LOUVOR QUE CANTA A PALAVRA

Essa colocação é fundamental porque, ao mesmo tempo em queo louvorprovém da Palavra, ele também emoldura a Palavra, porque ele suscita o trabalho dos fiéis em meio às lutas e antecipa a doutrina.

Exemplos:

– Um irmão nosso que faleceu ainda no início da nossa experiência com a Obra do Senhor no nosso meio, ele produziu o louvor “Ele um dia voltará, vem buscar a sua Igreja”, até hoje a Igreja canta esse louvor. Esse louvor marcou uma doutrina que aprendemos do Senhor que foi sobre “A Revelação”, na expressão: “tua glória nos conduz a andar na tua luz, a Jesus quero louvar”.

– Um pastor que esteve conosco ainda no inicio, o pastor Jonas Marques, compôs um louvor com um elemento doutrinário que foi a palavra maranata, ele diz: “Maranata, Maranata, em breve o Senhor voltará”!

Esses louvores anteciparam a doutrina. O irmão e o pastor passaram para a eternidade, mas a revelação ficou no louvor, e o Senhor colocou imediatamente em prática a doutrina a respeito da revelação e da volta do Senhor Jesus, doutrinas que têm sido muito profundas para nós.

As doutrinas têm sido antecipadas pelos louvores.

 

2. Inspiração dO Autor  –  Não se pode dissociar nenhum conteúdo profético, nenhuma palavra, nenhum louvor, nenhuma adoração, da Palavra e do seu Autor.

O grande valor dessa associação para nós é porque na Palavra nós vamos ter aqueles elementos que são fundamentais, que são a fé, a esperança e o amor.

A fala de um homem nobre que partiu para uma terra distante e que prometeu que um dia Ele vai voltar.

A esperança fala certeza da Sua volta.

O amor fala do grito de dor do pastor pela sua ovelha, fala da paixão do pastor pela sua ovelha.  Quando Jesus estava no calvário, Ele deu esse grito de dor.

Tudo isso tem que estar expresso no louvor. Não se pode cantar um louvor sem entender que o louvor é resultado da glorificação da Igreja.  A gratidão, a adoração ao nome do Senhor têm como resultado a dor que Ele sofreu no calvário, o seu grito de dor por amar um rebanho, por nos amar, a sua paixão pela sua igreja fiel.

 

V – O LOUVOR DA IGREJA FIEL NO NOVO TESTAMENTO

 

A Igreja canta os atos de justiça de Deus.

A Igreja canta os louvores daqueles que estão diante do Senhor, daqueles que entraram nas arenas, que morreram nas cruzes, nas fogueiras, e que clamam noite e dia diante do altar do Senhor, dizendo: “(…) Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra”?– (Apoc6:10). Há um clamor.

O louvor da Igreja Fiel é algo muito sério, porque aqueles mártires que estão clamando diante do altar de Deus, eles estão pedindo para que o Senhor reclame o seu sangue e o das testemunhas de Jesus.“Graças dou por tantos fiéis, Senhor, que foram mais fortes do que a morte e nos legaram, da fé, a herança…”.

“Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras”. (Sl 145:17)

 

VI – O louvor da Igreja Fiel é uma proclamação.

Essa proclamação tem que ser autêntica, ela não pode surgir do mundo, das coisas que não estão definidas.

E de onde vem esta autenticidade?

Ela vem através do selo, que é o clamor pelo sangue de Jesus.  Se não tiver o clamor pelo sangue de Jesus, o louvor não é autêntico, esta proclamação não tem autenticidade e por quê?

Porque o louvor retrata a comunhão da Igreja e a graça do Senhor sobre a Igreja.

 

O LOUVOR É UMA EXPRESSÃOVIVA DO CORPO.

A expressão de um corpo vivo é aquela onde o louvor expressa uma vida latente, é o Vem, Senhor Jesus, que é o clamor desta última hora. Tudo que a Igreja faz agora é a expressão deste momento. (NÃO É SIMPLESMENTE UMA EXPRESSÃO VERBAL, MAS UMA EXPRESSÃO DE FORMA DE VIDA).

O corpo vivo almeja a volta do Senhor Jesus, a Igreja Fiel vive desta expectativa, ela não está, simplesmente, cantando Vem, Senhor Jesus, mas expressa isso crendo no batismo com o Espírito Santo, crendo nos dons espirituais, crendo na salvação pela graça.

 

O louvor é a expressão de um grande compromisso, que é a salvação.  Esta salvação está em função do testemunho da igreja e dos atos libertadores do Senhor no meio dela.  Quando nós estamos cantando, nós estamos testemunhando essa salvação e o Senhor está operando os atos libertadores.

Quando o louvor é entoado por revelação do Espirito Santo, o Senhor envia os seus anjos no meio da igreja para ministrar libertação, cura, consolo, comunhão, livramento, paz, prosperidade, felicidade, maravilha.

Quando o Senhor revela: Quero que seja cantado o louvor Tal, e esse louvor foi resultado de experiência de uma operação de sinais, ao ser cantado, o mesmo anjo que ministrou aquela operação estará ali para operar aquele mesmo sinal no meio do povo.

O louvor da Igreja Fiel tem os seus fundamentos, ele não acontece aleatoriamente, mas ele é a expressão da vontade de Deus, do propósito de Deus, da sua grandiosidade. Esse louvor que se expressa no grande amor de Deus na nossa vida e na nossa gratidão quando fomos libertados e abençoados por Ele.Isso é muito mais do que uma mera composição poética para atender aos interesses dos seus compositores.

 

VII – As fases do louvor no culto – PRÁTICA

O compromisso, que é a salvação, comporta o testemunho e os atos libertadores no louvor, mas na prática, quando nós estamos no culto, nossa preocupação é colocar isso numa forma sequencial.

 

Invocação e Comunhão

Inicialmente nós precisamos do fortalecimento e precisamos estar escondidos dos ataques, das opressões do dia, daquilo que tenta entrar nos nossos corações trazendo-nos problemas.

Nós estamos escondidos ali, é no clamor, na comunhão, estamos entrando num ambiente onde o Senhor vai operar.

Às vezes nós gostamos de cantar logo no início do culto um louvor de glorificação, Glória, glória! Aleluia!  Vencendo vem Jesus! Mas não deve ser assim.

No início do culto o recomendável é um louvor de invocação, de comunhão, porque é aquilo que nós estamos precisando naquele instante.

Quando nós vamos iniciar, podemos cantar Vem, visita a tua Igreja, ó bendito Salvador!  Sem tua graça ela murcha, ficará e sem vigor.  Vivifica, vivifica, nossas almas, ó Senhor!  É uma oração, um clamor, o corpo expressa a vida do cabeça e os seus sentimentos.

 

A Igreja está reunida e nós dizemos: Senhor, nós clamamos pelo sangue de Jesus, e este clamor é que nos une agora, é a invocação e a comunhão, é a bênção do Espírito Santo.

 

Dedicação e Adoração

Depois é a dedicação, é a entrega da nossa vida, é a adoração, “Te louvamos, ó Deus, pelo dom de Jesus por nós pecadores, Ele morreu na cruz”.

É expressão da nossa gratidão pelos livramentos, pelas libertações, é a batalha que está sendo vencida.  E, finalmente a adoração. Após a libertação pelo poder do sangue de Jesus nós nos entregamos a este momento de adoração ao Senhor, nós viemos adorar ao Senhor e Ele vai aceitar a nossa adoração.

O nosso problema é que nós sempre estamos atrás de bênçãos, mas quando nós estamos adorando ao Senhor, louvando ao Senhor, nós estamos entrando em comunhão com Ele, nós estamos entrando nos benefícios da comunhão.

Por isso é que é necessária a comunhão, e ela não pode se tornar um elemento repetitivo, ela não é um costume, mas é um momento que o Senhor separa e que o Senhor nos dá para que nós possamos receber os seus benefícios.  Nós vamos colocar diante dEle o nosso coração, a nossa vida e, daí um pouco, as libertações virão, as lutas do dia ficarão para trás, esquecidas, as aflições, a preocupação, tudo começa a desaparecer.

Daí a um pouco, a palavra do Senhor, o louvor, que é a dedicação e, ao mesmo tempo, a adoração e, depois a glorificação.

 

Glorificação

A glorificação é a expressão de vitória alcançada, luta vencida, tristeza passada, renovo da alegria da salvação.

O culto tem um conjunto de elementos no louvor que mostram claramente que a Igreja entrou numa batalha e que os anjos estão presentes para batalhar por nós.

Depois nós passamos para o final do culto onde todos os louvores são de glorificação.

O valor do louvor está na expressão de vida do corpo, que emana do cabeça.

O louvor é a expressão de toda a doutrina revelada. O cabeça revela e o corpo profetiza, e ele sempre profetiza no sentido da vida.

Há um povo que sempre haverá de glorificar ao Senhor e honrar o seu nome com dignidade, porque digno é o Senhor de receber toda a honra e todo o louvor, todos os que estão na eternidade cantam esta dignidade de Deus, a sua justiça, os seus atos poderosos, os seus atos libertadores.

O texto em Apocalipse que nós lemos fala do momento e deste louvor que o cabeça revela e o corpo profetiza.

=================EBD 08-dez-2013=======================

ESTUDOS BÍBLICOS PARA ESCOLA DOMINICAL – 17-nov-2013

ASSUNTO: DOUTRINA DE DONS ESPIRITUAIS NO NOVO TESTAMENTO

TEXTO FUNDAMENTAL: I CORÍNTIOS 12:8-11

 

EM I CORÍNTIOS 12:8-11, PAULO FALA ACERCA DOS DONS ESPIRITUAIS.

 

ATIVIDADES

1. IDENTIFICAR E COMENTAR UM TEXTO BÍBLICO NO NOVO TESTAMENTO EM PARA CADA UM DOS ÍTENS ABAIXO:

– DONS DE CURAR NO MINISTÉRIO DO SENHOR JESUS

– OPERAÇÃO DE MARAVLHAS NA EXPERIENCIA DE PEDRO

– DOM DE CIÊNCIA NA EXPERIENCIA DE PAULO

 

2. FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA.

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

==================================================================

 

 

INTRODUÇÃO

………………………………………………………..

=========================

 

A) DONS DE CURAR NO MINISTÉRIO DO SENHOR JESUS

 

TEXTO DE: LUCAS….. – a cura da mulher do fluxo de sangue

TEXTO DE: MARCOS 3:5 – a cura do homem da mão mirrada

TEXTO DE: MARCOS 10:46 – a cura do cego Bartimeu

“Depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto ao caminho, mendigando”.

 

COMENTÁRIO – O cego Bartimeu, à beira do caminho mendigando. Ele clamou: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim. Jesus perguntou o que ele queria, e ao ouvir que queria ver, disse-lhe: Vê. E ele viu e passou a seguir a Jesus pelo caminho. 

 

SENTIDO PROFÉTICO:

É o tipo do homem que conhece a Jesus, mas está parado no caminho e por isso não vê. Tem muita religiosidade, conhece Bíblia, mas não teve uma experiência de Jesus se revelar a ele.

 

 

B) OPERAÇÃO DE MARAVILHAS NA EXPERIENCIA DE PEDRO

 

TEXTO DE: ATOS 9:40 – A ressurreição de Tabita.

TEXTO DE: ATOS 3:1-6 – A cura do coxo na Porta Formosa.

TEXTO DE: ATOS 5:14-16 – A sombra de Pedro levantando enfermos.

“14  E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais,15  de sorte que transportavam os enfermos para as ruas e os punham em leitos e em camilhas, para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles.16  E até das cidades circunvizinhas concorria muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais todos eram curados”.

 

COMENTÁRIO – Com o crescimento da igreja a assistência às pessoas tinha que ser até no meio da rua, pois não cabiam todos nos lugares de reunião. Com isso alguns que eram cobertos pela sombra de Pedro, quando ele passava, eram levantados curados de enfermidades físicas e espirituais. Não havia qualquer poder miraculoso na sombra de Pedro, mas o que havia nele era o reflexo da presença de Jesus em sua vida. Uma sombra só é projetada quando uma luz incide sobre um corpo sólido. Pedro tinha a luz, ou seja, a revelação de Jesus refletindo nele e era isso que levava os enfermos a serem curados e se levantarem de duas camas. 

 

SENTIDO PROFÉTICO:

A igreja fiel de Jesus é o corpo de Cristo e como tal, a sombra que ela projeta é o resultado da luz de Jesus, ou seja, a revelação dEle, que ela reflete. Todos os que se colocam debaixo da sombra proveniente da incidência dessa luz de Jesus no meio da igreja, esses são levantados também de suas acomodações na vida espiritual. Quando o membro integrado ao Corpo de Cristo, se põe à sombra desse “corpo”, é que ele recebe o descanso, a cura e o renovo das forças para caminhar. Ele então se levanta de sua cama, ou seja, de seu comodismo. Esta é a grande maravilha ou o grande milagre.

 

C) DONS DE CIENCIAS NA EXPERIENCIA DE PAULO

 

TEXTO DE: ATOS 18:9-10 – A visão com o Senhor falando a Paulo.

TEXTO DE: ATOS 16:9-10 – A visão do varão da Macedônia

“E Paulo teve, de noite, uma visão em que se apresentava um varão da Macedônia e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos! E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho.”.

 

COMENTÁRIO – A visão que Paulo teve foi quando esperou uma orientação do Senhor sobre a direção a ser tomada, visto que intentando ir para a Ásia o Espirito Santo impediu e intentando ir para a Bitinia o Espirito Santo não lhe permitiu. Assim a Obra do Senhor foi realizada alcançando a Macedonia e Filipos.

 

SENTIDO PROFÉTICO:

Através do dom de ciência o Espirito Santo tem dado as revelações para a realização da obra do Senhor nos nossos dias, quando orienta tudo e dá toda a direção a ser tomada no trabalho de evangelização. Não se faz a obra pela vontade do homem, mas do Espirito Santo.

ESTUDOS BÍBLICOS PARA ESCOLA DOMINICAL

ASSUNTO: DOUTRINA DE CORPO NO VELHO TESTAMENTO

TEXTO FUNDAMENTAL: I CORÍNTIOS 12:27

 

EM I CORÍNTIOS 12:27, PAULO FALA ACERCA DA IGREJA COMO CORPO DE CRISTO.

 

IDENTIFICAR E COMENTAR TEXTOS BÍBLICOS NO VELHO TESTAMENTO QUE APONTAM PROFETICAMENTE PARA A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO.

FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA.

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

==================================================================

INTRODUÇÃO

A doutrina sobre a igreja como Corpo de  Cristo está baseada em toda a Biblia, desde Gênesis até Apocalipse. No Velho Testamento encontramos essa doutrina na forma de figuras, ou seja, profeticamente.

Porém é no Novo Testamento que temos a afirmação clara dos apóstolos em suas cartas referindo-se à igreja como Corpo de Cristo, conforme Paulo afirma em I aos Coríntios capitulos 12,13 e 14, quando fala sobre os dons espirituais.

 

IDENTIFICAR TEXTOS BÍBLICOS NO VELHO TESTAMENTO QUE APONTAM PROFETICAMENTE PARA A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO.

 

IDENTIFICAÇÃO 1:

Gênesis 2:23 – “E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada”.

 

COMENTÁRIO:

Estrutura do corpo. “Osso dos meus ossos”: “O Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e fechou a carne em seu lugar. E da costela que o Senhor Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão”.

Esta descrição bíblica é uma profecia sobre a igreja como corpo de Cristo, porque ela foi formada exatamente assim. Para cumprir esta figura profética, o Senhor Jesus desceu ao sono da morte e, quando ressuscitou ao terceiro dia, passou a manifestar-se somente à sua igreja e não mais ao mundo (Joao 14:19). A partir da sua ressurreição Ele apareceu somente à sua igreja fiel e não mais ao mundo, porque ela é corpo de Cristo o que é explicado pelos apóstolos em suas cartas.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

A igreja é corpo de Cristo porque ela tem a mesma estrutura do Senhor Jesus. Ele tinha todos os dons espirituais e a igreja, como corpo de Cristo também tem todos os dons espirituais. Ele tinha todos os ministérios e a igreja, como corpo de Cristo também tem todos os ministérios.

A igreja que é corpo de Cristo não reflete uma estrutura meramente eclesiástica ou organizacional, nem mesmo uma estrutura criada pelos seus lideres e fundadores.

 

IDENTIFICAÇÃO 2:

Êxodo 10:26  – “E também o nosso gado há de ir conosco, nem uma unha ficará; porque daquele havemos de tomar para servir ao SENHOR, nosso Deus; porque não sabemos com que havemos de servir ao SENHOR, até que cheguemos lá”.

 

COMENTÁRIO:

A UNHA: uma pequena parte do corpo, porém considerada integrante do corpo.

O membro como parte integrante do corpo. “Nem uma unha ficará”. Moisés deixa claro para Faraó que, tratando-se da saída do Egito, nem uma unha do corpo de uma ovelha (vs.24) do rebanho ficaria, mas o rebanho iria sair do Egito integralmente, na sua totalidade, sem ficar para trás qualquer parte do rebanho, ainda que seja considerada insignificante como uma unha.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

A igreja que corpo de Cristo sairá deste mundo para a Canaã Celestial na sua totalidade. Nenhum membro do rebanho da igreja fiel do Senhor Jesus ficará neste mundo ainda que seja considerado tão pequeno como uma unha. O “corpo de Cristo” subirá inteiro nada deixando para trás. Paulo afirma em I aos Corintios 12:22 que todos os membros do corpo são necessários ao corpo.

 

IDENTIFICAÇÃO 3:

Êxodo 17:12 – “Porém as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado, e o outro, do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs”.

 

COMENTÁRIO:

O sustento do corpo ao membro integrado ao corpo. “…Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado, e o outro, do outro;…”. As mãos de Moisés expressavam sua oração a Deus pedindo a benção da vitória na peleja contra os amalequitas. Os dois irmãos de Moisés se constituíram o “corpo” e esse corpo sustentou as suas mãos até ao por do sol.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA:

A luta contra os amalequitas por ser uma luta corpo a corpo e de igual para igual, simboliza as lutas contra a carne. O servo integrado ao corpo alcança a vitória contra a carne quando é sustentado pela ajuda do corpo. A figura de corpo de Cristo se completa no fato de que Moisés estava sentado sobre uma pedra, que é figura de Jesus como o fundamento da nossa fé. Paulo fala sobre a ajuda da igreja como corpo ao membro integrado: 1 Cor. 12:26 – “de maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele”.

 

OUTRAS IDENTIFICAÇÔES:

 

Noé: A arca é símbolo da obra e Noé pregou para o mundo da época sobre o juízo, símbolo da ação que o Corpo de Cristo exerce hoje pregando sobre a volta do Senhor.

Gênesis 7:7, 15 e 16

7 E entrou Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele na arca, por causa das águas do dilúvio..

15  E de toda carne, em que havia espírito de vida, entraram de dois em dois para Noé na arca. 16  E os que entraram, macho e fêmea de toda carne entraram, como Deus lhe tinha ordenado; e o SENHOR a fechou por fora..

 

Ester: Quando convoca o povo judeu para jejuarem. Nesta passagem vemos ação do corpo em ação para fazerem uma consagração para livramento do povo da destruição.

Ester 4:16 Vai, e ajunta todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas moças também assim jejuaremos; e assim irei ter com o rei, ainda que não é segundo a lei; e, perecendo, pereço.

 

Daniel: Quando o rei Nabucodonosor inquiriu os sábios da Babilônia sobre o sonho que ele teve, Daniel reunião os seus três companheiros para buscarem a revelação do Senhor. Não agiu isoladamente, mas “no corpo”.

Daniel 2:17-19

17 Então, Daniel foi para a sua casa e fez saber o caso a Hananias, Misael e Azarias, seus companheiros, 18  para que pedissem misericórdia ao Deus dos céus sobre este segredo, a fim de que Daniel e seus companheiros não perecessem com o resto dos sábios da Babilônia. 19  Então, foi revelado o segredo a Daniel numa visão de noite; e Daniel louvou o Deus do céu..

Estudos do mês de julho

ESTUDOS SOBRE

“A HERANÇA”

E

“A ESTRUTUTRA DA FÉ”

 

MES DE JULHO/2013

 

==================================================

 

14/jul/13 – ESTUDOS BIBLICOS PARA EBD

– ASSUNTO: O VALOR DA HERANÇA

– TEXTO FUNDAMENTAL: I REIS 21:1-3

 

EM I REIS 21:1-3, VEMOS A INSISTENCIA DE ACABE EM NEGOCIAR A VINHA DE NABOTE, USANDO ARGUMENTOS PARA CONVENCÊ-LO.

 

ATIVIDADE:

FAZER O COMENTÁRIO E A APLICAÇAO PROFETICA DA RECUSA DE NABOTE AOS SEGUINTES ARGUMENTOS DO REI:

“…OUTRA VINHA MELHOR…”

“…VALIA EM DINHEIRO…”

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

 

Significado da palavra ARGUMENTO: raciocínio pelo qual se chega a uma conclusão ou um objetivo.

 

INTRODUÇÃO

A vinha de Nabote, que ele recebera de seus pais como herança, representava para ele o BEM MAIOR da sua vida. Todavia, dois inimigos daquela herança, o rei Acabe e a rainha Jezabel, reuniram seus esforços para tomá-la de Nabote. O rei vai usar 4 fortes argumentos para conseguir seus maus intentos com a vinha. Estaremos analisando neste estudo os dois últimos argumentos usados pelo rei Acabe.

 

ARGUMENTO DO REI ACABE: – “…OUTRA VINHA MELHOR…”

Ao usar a expressão “e te darei por ela outra melhor do que ela”, o rei Acabe avaliava a vinha de Nabote no contexto de seus projetos que eram para transformá-la numa horta. Esse era o seu conceito de uma vinha melhor. Isso era uma troca, uma substituição.

O rei por certo possuía outras vinhas, mas não possuía uma vinha nem igual, nem melhor, porque não era herança dos pais.

O Rei queria mudar o projeto, mas não podia, porque o nome do lugar em que aquela vinha tinha sido plantada é Jesreel, que significa: plantado por Deus, ou semente de Deus.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

A Obra do Espírito Santo é uma vinha que não possui outra igual, nem melhor do que ela, porque é uma planta que dá fruto para a vida eterna. Esse fruto é permanente como a eternidade. Isso não se troca por bens passageiros, favores pessoais, projetos terrenos, etc. A Obra do Espirito Santo é um valor que não se dilui quando um líder que está à frente sai e ela se acaba, pois a liderança é do Espirito Santo.

 

Onde estaríamos nós se não fosse a Obra genuína do Espirito Santo no nosso meio?

A Obra do Espírito Santo não possui outra igual, apesar das imitações. Se trocarmos essa herança, para onde vamos?

Pedro fez esta pergunta respondendo ao Senhor Jesus: “Para quem iremos nós…” Há os que pensam que podem achar outra igual nem melhor. Não trocamos a herança, pois não há substituto para o Senhor Jesus, pois só Ele tem palavras de vida eterna.

A obra é uma herança, e herança não se merece, mas recebe-se mesmo sem merecer. O que torna o herdeiro merecedor da herança é o fato de ser filho. O Senhor Jesus nos deu esse direito tornando-nos filhos de Deus, ao crermos no Seu nome. Os méritos da herança são do Verdadeiro Herdeiro, o Senhor Jesus.

 

ARGUMENTO DO REI ACABE: – – “…VALIA EM DINHEIRO…”

A expressão do argumento do rei Acabe “se bem parecer aos teus olhos, dar-te-ei a sua valia em dinheiro”, era um apelo para a concupiscência dos olhos. Uma avaliação em dinheiro daquilo que para Nabote não tinha preço, pois era uma herança dos pais. A vinha era passada de pai para filho, pois era uma herança. O alto preço daquela vinha já havia sido pago pelos pais, preço esse que tornava aquela herança capaz de ser passada para os filhos que viessem.

A proposta envolvia uma mudança de forma de vida de um vinhateiro para um negociante de dinheiro. Nabote não queria ser vinhateiro de uma vinha do rei Acabe, pois não seria uma herança, mas sim uma troca apenas.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

O preço pago pela nossa salvação foi dado pelo pai, porque esse preço foi do Filho, o Senhor Jesus, que nos foi dado por Deus, por ter nos amado de tal maneira.

Quanto custa para mim a Obra do Espírito Santo? Quanto custa a Obra na minha vida? Custa uma posição social?! Um bem material?! A Obra do Espirito Santo para salvar a minha vida não tem preço porque esse preço é de vida, a vida que Jesus deu pela Sua Igreja.

O maior valor da Obra do Espírito Santo hoje no nosso meio é que ela é uma herança que nos foi legada pelos pais, ou seja, os patriarcas, os profetas e os apóstolos. Esta é a herança que hoje está confiada a nós. Essa é a herança que o Pai nos deixou, pois custou a morte do Filho, o preço de sangue que foi pago pela Vinha e esse é o verdadeiro valor dela.

============================================================

 

 

21/jul/13 – ESTUDOS BIBLICOS PARA EBD

– ASSUNTO: A FÉ, COMO O GRÃO DE MOSTARDA

– TEXTO FUNDAMENTAL: MATEUS 13:31-32

 

EM MATEUS 13:31-32, O SENHOR JESUS FALA DE DUAS ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DE UMA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE UMA GRANDE ÁRVORE.

 

ATIVIDADES:

É POSSIVEL IDENTIFICAR A OBRA DE DEUS E DO HOMEM NAS ESTRUTURAS DE FÉ REFERIDAS NA PARÁBOLA?

FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA

 

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

===================================================================

RESPOSTA: sim, é possivel.

 

INTRODUÇÃO

O Senhor Jesus, em Mateus 17:20, usa a figura do grão (ou semente) de mostarda para falar sobre a fé. Portanto, a semente (ou grão) fala figuradamente da fé.

MOSTRANDO AS FIGURAS DAS 7 PARÁBOLAS:

Nas sete parábolas do Capitulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus fala profeticamente sobre o Reno de Deus que iria ser estabelecido na igreja ao longo da existencia dela. Em cada uma delas o Senhor deixa sempre o ensino acerca de duas estruturas de fé que correm paralelamente opondo-se (ou contrastando-se) uma à outra.

Na primeira, três diferentes terrenos se opõem à boa semente, na segunda o joio se opõe ao trigo e na terceira a estrutura da grande árvore contrasta com a estrutura da semente, no caso, o grão de mostarda.

Mais adiante a simplicidade de 3 medidas de farinha é contrastada pela aparência de uma massa levedada pelo fermento de uma mulher, como também o campo do interesse do homem oferece contraste ao tesouro, ocultando-o aos olhos de todos. Depois, um punhado de pérolas sem valor contrasta também com a pérola de grande preço e, por fim, os peixes bons recolhidos no cesto são constrastatos pelos peixes ruins lançados fora na areia da praia do mar.

Enfim, as sete parábolas do Reino, de Mateus 13, são “a história profética da igreja”.

 

DUAS ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DE UMA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE UMA GRANDE ÁRVORE.

O grão de mostarda, apesar de ser uma semente tão pequena, quase imperceptível, tem no seu interior uma vida latente que é um mistério, capaz de se tornar um grande arbusto. E para que isto aconteça é necessário que a semente morra.

Assim é a fé, tão pequena e intrínseca, mas que quando se exterioriza ela morre. A semente é uma concentração de vida interior. Assim é a estrutura da Obra do Espírito Santo: uma fé de estrutura interior.

Todavia, embora seja um processo natural, para dar lugar ao surgimento de uma estrutura de uma grande árvore, na qual se aninham as aves dos céus, ocorre a morte da semente. Assim é a estrutura da obra do homem: uma fé exterior, resultado da morte de uma fé interior.

E quando isso ocorre? Quando o homem pega da semente (o grão de mostarda, ou seja, a fé) e lança-a no seu campo, ou seja, no campo do seu interesse.

 

APLICAÇÃO PROFÉTICA

IDENTIFICAR A OBRA DE DEUS E DO HOMEM NAS ESTRUTURAS DE FÉ REFERIDAS NA PARÁBOLA

É natural que o entendimento literal e até lógico da parábola leve à compreensão racional do seu sentido. Porém olhando para o entendimento profético da parábola, o que nos chama a atenção é o fato de o homem pegar do grão e lançar no seu campo o que leva a semente a morrer e em seu lugar surgir uma estrutura, mas de natureza contrastante. O profético não obedece à lógica, pois esta pertence ao raciocínio do homem.

A Obra do homem consiste sempre em querer transformar a Obra de Deus, simples e cheia de vida em coisa exterior, morta, onde o seu campo é traduzido pelos seus interesses, pela carne, pela vontade própria, pela desobediência, pela cultura, a mentira, a aparência, a simples religiosidade, os ritos, as liturgias de culto, etc.

UMA QUESTÃO A SER RESPONDIDA:

Quando lança mão da fé para plantá-la no campo do seu interesse, o anseio do homem é: ver a sua própria promoção, ou ver a promoção do Senhor?é liderar  ou ser lidarado pelo Senhor?- fazer crescer a sua própria Organização  ou fazer crescer a Obra do Senhor?

Aquilo que é intrínseco (próprio) numa estrutura de fé interior, quando morre, ou seja, quando deixa de existir, passa a se exteriorizar, dando lugar a uma estrutura de fé apenas de paramentos e de aparência.

OUTRA QUESTÃO A SER RESPONDIDA: Uma fé de aparência exterior você pode definir como: – TEÓRICA ou prática? – ALIENADA ou com envolvimento? – INTELECTUAL ou espiritual? – RACIONAL ou revelada?

A partir do entendimento de uma fé apenas de aparencia exteror, essa fé passa a ser teórica, alienada, intelectual, racionalista, preparando o homem e toda a sua religiosidade para defender os interesses do anti-Cristo que se identificará nos fins dos tempos.

O que acontece quando a fé se exterioriza? Resposta: A experiência com o Senhor fica dispersa. O homem passa a não depender mais do Espirito Santo. A partir daí a fé se torna filosófica.

Ora, se Jesus não se revelar, a fé se torna apenas teórica e reflete visivelmente o resultado dos interesses investidos nela. Esses interesses estão prefigurados, na parábola, na figura das aves que se aninham nos ramos da árvore para retirar seus frutos. São os interesses materiais, terrenos, temporais e próprios da vaidade do homem que se assenhoreia da Obra de Deus como se fosse sua. Aí a igreja se torna uma Ideologia de Poder Eclesiástico. A igreja fiel de Jesus nunca desejou se tornar uma ideologia de poder eclesiástico.

É natural que uma árvore deva abrigar ninhos, porém devemos convir que a árvore é para dar frutos e não criar (abrigar) passarinhos que destroem e aniquilam os frutos.

Por causa disso, a obra do homem sempre estará em oposição à Obra de Deus.

======================================================

 

ESTUDOS A SEREM ENTREGUES PELOS PASTORES NO ULTIMO FIM DE SEMANA DE JULHO:

1.     A HERANÇA (NABOTE)

– 27-jul-2013 – EBJO – (Aula dada no Seminário Especial de Jovens)

2.     A HERANÇA DA BENÇÃO PATRIARCAL

– 28-jul-2013 – EBD – Gerson Beluci

Escola Bíblica Dominical 13/01/2013

ESTUDO BÍBLICO DOMINICAL 13-01-13 – VERSÃO PARA IMPRESSÃO


Clique e ouça a Rádio Maanaim

Calendário

setembro 2020
S T Q Q S S D
« ago    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Usuários Online

Users: 15 Guests, 7 Bots